Weverton - Red Bull Brasil

Weverton ainda não jogou como titular do Bragantino - FOTO: Divulgação/Red Bull Bragantino

Fellipe Lucena
23/07/2020
08:00
São Paulo (SP)

O jovem Weverton, lateral-direito de 21 anos, fará sua estreia como titular do Red Bull Bragantino nesta quinta-feira, às 20h, já que Aderlan está suspenso pelo terceiro amarelo. Será em um grande estádio (o Morumbi), diante de um grande adversário (o São Paulo) e depois de quatro meses de paralisação do futebol devido à pandemia do coronavírus. Mas ele não se intimida, mesmo que do outro lado esteja o seu maior ídolo no futebol.

- Eu sempre gostei do Daniel Alves, do estilo de jogo dele, sempre tentei pegar algumas coisas e acrescentar no meu futebol. Eu nunca imaginei jogar contra ele, mas Deus abençoou e vou realizar um sonho. Isso é um sonho para mim. Eu só via o cara na televisão e agora vou jogar contra ele, é um sonho realizado. Mas é ele lá e eu cá, fazendo meu trabalho - disse o jogador, que ficou conhecido justamente em um duelo contra um craque mundial.

No ano passado, quando defendia a equipe sub-20 do Cruzeiro, Weverton foi chamado para completar um treino da Seleção Brasileira na Toca da Raposa e roubou a cena ao dar uma caneta em Neymar, que aparentou irritação com o lance. Naquele período, além de ganhar visibilidade pelo drible no astro do PSG (FRA), o garoto conviveu com o próprio Daniel Alves e com outras estrelas da Seleção Brasileira. Experiência que ele considera valiosa.

- Fui completar um treino na Seleção e aconteceu o lance lá, como muitas pessoas já sabem. Aí fiquei conhecido por todo mundo. Ele (Neymar) veio muito rápido, né? Foi o impulso, foi o recurso ali no momento. Foi a primeira coisa que eu pensei. E executei... Foi muito bom para a minha visibilidade, para o pessoal ver meu trabalho também. Ele saiu com dor no joelho, então não conversei mais com ele, no outro dia eu já estava voltando para o Cruzeiro. Eu tirei uma foto com ele um ou dois dias antes de acontecer isso. Ele é mais na dele, conversa mais com os caras, não conversei com ele igual conversei com Fernandinho, Casemiro...

- Filipe Luís, Casemiro, Fernandinho, Richarlison... São os caras de quem mais me aproximei no dia. O Dani Alves chegou depois, cheguei a treinar com ele. Um cara humilde demais - conta.

Natural de Maceió, o lateral começou a carreira na base do CRB, passou pelo Santa Cruz-AL, teve uma chance na base do Inter, passou um período treinando no PSV (HOL), voltou para o Brasil após sofrer uma lesão na lombar, estreou profissionalmente pelo Figueirense, foi comprado pelo Cruzeiro e, por fim, pelo Red Bull Bragantino. Apesar de jovem, ele já conhece a estrutura de alguns clubes e atesta: o Massa Bruta pode sonhar com voos altos neste ano.

- O clube aqui é totalmente diferente. As pessoas são muito atenciosas com o atleta. A gente tem tudo para ganhar o Paulistão. Muitas pessoas desacreditam do nosso elenco, mas a gente vai brigar para ser campeão. Nosso elenco vai voltar ainda melhor, todo mundo se cuidou, ninguém voltou acima do peso, todo mundo treinou em casa na quarentena para estar bem fisicamente e psicologicamente também - disse.

Além de manter os treinos, todos monitorados pela comissão técnica, Weverton aproveitou a quarentena para ficar próximo da filha Helena, recém-nascida. Obviamente será ela a homenageada em caso de gol no Morumbi.

- Isso muda a vida completamente. Muda em relação ao sono também (risos). Você dorme pouco, ela chora, tem que dar leite, mas é uma experiência muito boa também.