LANCE!
08/08/2020
12:47
São Paulo (SP)

A estreia de Lucas Moura como jogador de futebol profissional completa dez anos neste sábado. Foi em 8 de agosto de 2010, durante empate por 1 a 1 com o Athlético-PR, na Arena da Baixada, pelo Brasileirão, que ele estreou pela equipe principal do São Paulo. Na época, ainda era chamado pelo apelido de Marcelinho e ficara conhecido pelo brilho na conquista da Copinha, em janeiro - ele pediu para ser chamado pelo nome de batismo ainda naquela temporada.

- É uma marca muito especial, importante para mim. Me lembro muito bem de tudo que vivi, desde os tempos de base a agora no profissional. Lembro também de tudo que conquistei, os amigos que fiz neste período. Sou um cara muito realizado, tanto profissionalmente quanto pessoalmente - disse Lucas, hoje no Tottenham (ING).

No Tricolor, Lucas foi o protagonista do título da Sul-Americana de 2012, o último do clube. O atacante deu uma assistência e fez um gol na final diante do Tigre (ARG), além de ter dividido o pódio com Rogério Ceni na hora de erguer a taça.

Depois daquele jogo, ele foi para o Paris Saint-Germain, onde atuou entre 2013 a 2017, virou xodó e colecionou títulos. Ao todo, foram 18.

Em 2017, o brasileiro transferiu-se para o Tottenham. E lá estava reservada, quem sabe, sua maior atuação na carreira. Pelas semifinais da Liga dos Campeões de 2018/2019, os Spurs perdiam de 2 a 0 para o Ajax, na Holanda, quando Lucas fez o incrível hat-trick e garantiu a classificação inédita para a final do principal torneio de clubes do Velho Continente.

Ao longo destes 10 anos de carreira, a Seleção Brasileira fez parte da vida de Lucas. Em 2012, ele esteve na conquista da prata nos Jogos Olímpicos em Londres. No ano seguinte, no Brasil, o atacante participou da campanha vitoriosa na Copa das Confederações. Além disso, tem dois títulos do Superclássico das Américas, marcando diante da Argentina em uma das edições.

Lucas Moura - Despedida do São Paulo (2012)
Lucas ergue o último troféu do São Paulo - FOTO: Divulgação

- Nestes 10 anos vivi momentos fantásticos, só tenho de agradecer a Deus. Eu vivi momentos que sempre sonhei e outros que nunca imaginei que viveria. Espero continuar escrevendo lindas páginas nesta minha história, pois tenho muito pela frente ainda. Foram conquistas, algumas derrotas, mas o mais importante é que cada dia me sinto realizado fazendo aquilo que amo e sempre sonhei fazer - completou Lucas.

Confira os números da carreira de Lucas em 10 anos:

São Paulo: 128J/ 33G/ 25A
PSG: 229J/ 46G/ 50A/
Tottenham: 107J/ 23G/ 10A
Seleção Brasileira principal: 35J/ 4G/ 4A