Jean Mota - Santos

No início de junho, Jean Mota completou quatro anos de Santos FC (Foto: Ivan Storti/Santos)

Fábio Lázaro*
02/07/2020
05:00
Santos (SP)

Para liberar o meia Jean Mota ao Fortaleza, a diretoria do Santos mantém cautela a fim de não perder o controle das negociações e a decisão final esteja adequada aos interesses santistas.

A informação inicial do negócio foi publicada pela "Gazeta Esportiva" e confirmada pelo LANCE!

Desde o último fim de semana, a equipe cearense mantém contato com o Peixe, mas nas últimas horas a conversa entre as partes intensificaram-se. No início, quem esteve à frente das negociações por parte dos nordestinos foi o Diretor de Futebol, Daniel de Paula. Na ocasião, ele sugeriu o empréstimo de Jean Mota ao Fortaleza, que assumiria integralmente os salários. A ideia foi negada pelos santistas e, a partir daí, o presidente do Tricolor do Pici, Marcelo Paz, assumiu o contato com o Alvinegro Praiano.

A sugestão inicial de Paz foi o empréstimo até o fim da temporada com compra no ano que vem, mas para que o negócio fosse firmado, os cearenses adquiririam uma pequena porcentagem do jogador como “entrada do negócio”, modelo que não agradou o Santos que só aceita venda em definitivo esse ano. A última conversa, portanto, dispôs a compra total ainda esse ano, mas de forma parcelada, já que o Leão não possui a quantia para pagamento à vista.

O entrave, até o momento, está na quantidade de parcelas e a divisão de valores à receber entre as partes caso Jean Mota seja negociado com outro clube antes do fim do pagamento do Fortaleza ao Santos. 12% dos direitos do meia já pertencem ao Leão, sendo 80% ao Santos e 8% pertence aos empresários do atleta. O Fortaleza passariam a ter um percentual maior por Mota a cada pagamento ao Alvinegro Praiano.

Conforme o LANCE! apurou, para os diretores do Alvinegro o negócio só prosseguirá se estiver dentro do que o Peixe deseja e a cautela será mantida, enquanto os cartolas tricolores estão otimistas com um desfecho positivo até sexta-feira.

* Sob supervisão de Vinicius Perazzini