Jesualdo Ferreira

Jesualdo Ferreira assumiu o Santos em janeiro deste ano (Foto: Ivan Storti/Santos)

Fábio Lázaro*
10/07/2020
06:00
Santos (SP)

Quando o Campeonato Paulista foi paralisado, no dia 16 de março, o Santos tinha quatro jogadores entregues ao Departamento Médico e mais dois em transição, mas ainda sem totais condições de entrarem em campo. Eram eles, Vladimir, Alison, Renyer, Kaio Jorge, Raniel e Marinho.

Agora, quase quatro meses após a última partida do clube antes do início da quarentena, no dia 14 de março, quando foi derrotado por 2 a 1 diante o São Paulo, no estádio do Morumbi, pela 11ª rodada do Estadual, a realidade do técnico Jesualdo Ferreira é completamente diferente.

De todos os jogadores “presos” no DM, apenas Renyer, que recupera-se de uma cirurgia de reconstrução do ligamento do joelho, segue em recuperação, que, por sinal, está em fase avançada e com boa evolução.

Desde que assumiu o Peixe, é a primeira vez que o técnico Jesualdo Ferreira tem um número tão baixo de jogadores contundidos. As ocasiões em que ficou mais próximo de ter o setor médico vazio foi na segunda quinzena de fevereiro, com Marinho recuperando-se de uma fratura no pé esquerdo e Felipe Aguilar, vendido ao Atlhetico-PR durante a quarentena, iniciando a sua transição ao campo, após um edema no joelho direito.

Para a partida contra o Santo André, primeira da volta santista no Paulistão, além da ausência de Renyer, o técnico Jesualdo Ferreira não terá à disposição o volante Jobson, que foi expulso no último jogo anterior a pausa e cumprirá suspensão automática.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini