Thiago Ferri e William Correia
04/10/2018
00:57
São Paulo (SP)

Assim que terminou a vitória por 2 a 0 do Palmeiras que eliminou o Colo-Colo da Libertadores, Valdivia ouviu torcedores do Verdão o aplaudirem e cantarem "Ê ô ê ô, o Valdivia é um terror", como faziam quando ele era atleta do time. E o hoje camisa 10 da equipe chilena avisou que toparia voltar ao clube alviverde, do qual se sente ídolo e por quem torcerá na sequência do torneio continental.

- Nunca escondi o carinho que sinto pelo clube. Se um dia o clube achar que é uma boa opção eu voltar, não tem por que dizer que não. Vi hoje muita gente com quem convivi por muitos anos. Eu ficaria feliz. Mas o Palmeiras tem hoje um elenco muito bom, eu gostaria de jogar com um elenco assim, mas, por enquanto, estou no Colo-Colo, feliz, e devo respeito ao Colo-Colo - disse o meia, elogiado e chamado de "diabinho" por Luiz Felipe Scolari no jogo de ida.

- Vi tudo que o Felipão falou. Agradeço muito o fato de ele ter falado aquilo de mim. Eu me senti bem, estou bem fisicamente. Agora, pelo carinho que sinto pelo clube, pelo carinho que a torcida entrega, claro que torço daqui para frente para o Palmeiras. Conheço o clube, sei quanto sofreu no passado e, agora, está vivendo uma fase muito boa. Desejo sorte ao clube, ao Felipão e aos jogadores para que possam ser campeões da Libertadores.

Valdivia foi questionado se sente ídolo do Palmeiras, clube que defendeu por sete anos (entre 2006 e 2008 e de 2010 a 2015). Apesar de ter saído sem uma proposta de renovação que julgou justa do diretor de futebol Alexandre Mattos, que segue no clube, o chileno usa fotos suas em conquistas do time (ganhou o Paulista de 2008 e as Copas do Brasil de 2012 e 2015, além da Série B do Brasileiro de 2013) para se sentir importante na história do clube.

- Anteontem, mandaram para mim uma foto da história do clube e estou considerado entre os ídolos do Palmeiras. A resposta é dura e firme - falou, enaltecendo ainda a escolha de Scolari por colocar Thiago Santos em marcação individual para não deixá-lo jogar.

- O Thiago é um grande jogador, foi muito bem hoje. É difícil ver hoje no futebol uma marcação individual, mas, se o Felipão fez isso, é porque sabia que eu podia desarmar a boa marcação que o Palmeiras tem - declarou Valdivia, lamentando ter perdido no Allianz Parque tanto pelo Chile (derrota por 3 a 0 em outubro do ano passado, pelas Eliminatórias) quanto pelo Colo-Colo.

- Faz parte da nossa profissão. Vim aqui, tratei de ganhar, logicamente, e o futebol é assim: você pode ganhar ou perder. Perdi nas duas últimas vezes que vim, lamentavelmente, mas é o futebol. Saio triste, porque fui eliminado, mas orgulhoso por estar nesse grupo de jogadores. Eu sabia do carinho que as pessoas (palmeirenses) têm por mim. Estive muito tempo aqui, com coisas positivas e negativas, mas mais positivas. Saio contente pelo carinho que recebi não só hoje, mas durante a semana - comentou.

- O Palmeiras tem duas ou três equipes. Nos torneios que jogam, tem equipes totalmente distintas, repetindo só três jogadores. Nós, na maioria das partidas, temos jogado com praticamente os mesmos nomes. Com essa eliminação, estamos tristes, mas estamos todos conscientes de que perdemos para um grande rival. E estamos orgulhosos, sabendo que demos tudo que podemos.