Dudu Palmeiras

Dudu se defende da acusação de agredir ex-mulher enquanto negocia ida ao Qatar (Agência Palmeiras/Divulgação)

William Correia
28/06/2020
20:35
São Paulo (SP)

Os advogados de Mallu Ohana, ex-mulher de Dudu que o acusa de agressão, protocolaram um pedido para que o passaporte do jogador seja retido. A tentativa atrapalharia a venda do atacante para o Qatar, de onde está sendo preparada uma oferta oficial do Al Duhail, que deve chegar ao Palmeiras em breve. Mas a ação jurídica, a princípio, não deve barrar a negociação.

O Esporte Interativo divulgou a solicitação dos representantes de Mallu. O pedido foi protocolado no sábado e, caso seja acatado antes de a transferência do camisa 7 ser concluída, o impediria de viajar para o exterior. Mas ainda não há resposta para a análise e, por isso, não se acredita que terá alguma influência na transação, que gera expectativa de ser concluída em breve.

O avanço das conversas com o clube do Qatar ocorreu em semana na qual Dudu foi acusado de agredir sua ex-mulher. O clube liberou o atacante das avaliações físicas de terça-feira, na Academia de Futebol, para prestar depoimento voluntariamente na delegacia. O Palmeiras avisou que acompanha a investigação e se posicionou dizendo ser contra violência e injustiça.

A proposta de 13 milhões de euros (R$ 79,6 milhões) do Al Duhail, do Qatar, por Dudu, ainda não chegou de forma oficial ao Palmeiras. Quando for enviada, já é considerado provável no clube que seja aceita. O Verdão foi atualizado das conversas com o jogador e soube que ele gostou do que ouviu. Dessa forma, a diretoria pretende tentar melhorar os valores, mas não deve se opor à saída.

Por enquanto, o Palmeiras não participa das negociações, até por nada ter sido formalizado ainda. Os dirigentes, no entanto, sabem que a ideia do Al Duhail é oferecer 13 milhões de euros, com a possibilidade de a transferência chegar a 15 milhões de euros (R$ 91,8 milhões) dependendo de metas a serem cumpridas por Dudu. O ideal seria ampliar a quantia, mas o Verdão ainda quer saber como a equipe do Qatar se portará quando o clube abrir diálogo.

Representantes de Dudu iniciaram as conversas com o time do Oriente Médio há cerca de uma semana, antes mesmo de o jogador ser acusado de agredir sua ex-mulher, na segunda-feira. O Palmeiras sempre esteve ciente do andamento das negociações e, na última sexta-feira, uma reunião, na qual o camisa 7 indicou que gostou do que ouviu, concluiu a proposta, que oferece ao atacante um contrato de três anos, com salário superior ao que recebe hoje.

A tendência de saída não tem somente a aprovação de Dudu como motivo. O Palmeiras sabe que dificilmente conseguirá transações por cifras muito maiores em uma época de pandemia de coronavírus, com a crise econômica afetando a todos - ter quase R$ 80 milhões em mãos facilitaria muito a situação atual. Além disso, o clube economizaria com um alto salário e faria uma negociação de alto valor para um jogador de 28 anos, mesmo sendo ídolo.

Dudu está no Palmeiras desde janeiro de 2015 e, frequentemente, foi alvo de equipes do exterior. No começo do ano passado, quando esteve especulado, mais uma vez, para jogar na China, recebeu aumento salarial e assinou contrato até o final de 2023. Recentemente, afirmou que queria se aposentar no clube, mas seu nome continua despertando interesse fora do Brasil.

O camisa 7 é o principal nome do elenco atual do Palmeiras. Conquistou a Copa do Brasil de 2015 e os Campeonatos Brasileiros de 2016 e 2018 no clube, sempre entre os protagonistas, e ostenta a marca de ser o artilheiro do clube no século, com 70 gols em 305 jogos, e é ainda quem mais deu assistências com a camisa alviverde desde 2001. Também acumula a liderança de ser quem mais jogou, balançou as redes e deu passe para gol no Allianz Parque.