Deyverson comemora gol de Raphael Veiga: nenhum atacante balançou as redes ou deu assistências nos três últimos jogos

Deyverson celebra com Veiga: nenhum atacante faz gol ou dá assistência há três jogos (Cesar Greco/Ag. Palmeiras)

William Correia
02/05/2019
08:22
São Paulo (SP)

O Palmeiras encontrou força ofensiva depois de ficar 15 dias sem entrar em campo. Antes da parada, a equipe tinha média de 1,35 gols por jogo, um número que quase triplicou depois dos três últimos compromissos: média de três por partida. Mas, curiosamente, os atacantes não tiveram nenhuma participação direta, com gol ou assistência, nessa melhora.

Antes de ficar sem atuar por duas semanas, em decorrência da eliminação nas semifinais do Campeonato Paulista, o Verdão acumulava 27 gols em 20 jogos na temporada. Nas três últimas vezes que entrou em campo, porém, balançou as redes em nove oportunidades: 4 a 0 sobre o Melgar, no Peru, pela Libertadores, e, pelo Campeonato Brasileiro, 4 a 0 contra o Fortaleza, no Allianz Parque, e empate por 1 a 1 diante do CSA, em Alagoas.

E os artilheiros nesse período pós-parada são os meias: Zé Rafael e Gustavo Scarpa, com dois gols cada. Moisés, Bruno Henrique e Raphael Veiga são outros meio-campistas que balançaram as redes, enquanto dois defensores, o zagueiro Gustavo Gómez e o lateral-direito Marcos Rocha, completam a lista.

Nas assistências, nenhum atacante aparece. Hyoran deu três, enquanto Marcos Rocha foi responsável por dois passes para gol. Gustavo Scarpa, Zé Rafael e o lateral-esquerdo Diogo Barbosa completam a lista no quesito, com uma participação cada. A assistência que falta veio da zaga do Melgar, no primeiro gol de Gustavo Scarpa no Peru.

Na análise específica dos atacantes, Dudu tem se alternado durante os jogos, chegando a atuar como meia em alguns momentos. Além disso, o camisa 7 tem participado indiretamente dos gols. Deu passe em cobrança de escanteio para Gustavo Scarpa cruzar e Gustavo Gómez abrir o placar diante do Melgar e, no domingo, chamou atenção da marcação ao ir em direção à bola, em arremesso lateral de Marcos Rocha, que acabou encontrando Zé Rafael no terceiro gol sobre o Fortaleza. Além disso, foi poupado contra o CSA, nessa quarta-feira.

A busca por participação mais efetiva recai mais sobre Deyverson. O centroavante foi titular e sequer foi substituído nas últimas três partidas. Ainda assim, não balançou as redes nem deu passe para gol nas chances que têm recebido enquanto Arthur Cabral segue no banco e Borja só foi suplente no Peru, ficando fora até da reserva por opção de Felipão, no domingo, e vetado da viagem a Alagoas para o jogo dessa quarta por pancada no joelho esquerdo.

Neste sábado, às 19h, contra o Internacional, no Allianz Parque, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, é bem provável que Arthur Cabral ganhe sua primeira oportunidade como titular, para Deyverson ter descanso. E Dudu, que foi poupado até da viagem para Maceió, tem escalação desde o início dada praticamente como certa.