Arthur Cabral

Arthur Cabral comemora seu gol no empate com o Novorizontino (Foto: Cesar Greco)

Thiago Ferri
24/03/2019
08:00
São Paulo (SP)

Inscrito sexta-feira no Campeonato Paulista, Arthur Cabral teve uma estreia de impacto no Palmeiras: foi dele o gol no empate com o Novorizontino em 1 a 1, pela ida das quartas de final do Paulista. Sem um "dono da posição" no ataque, o ex-jogador do Ceará acirrou a briga com Borja e Deyverson.

O último citado é quem melhor jogou sob o comando de Luiz Felipe Scolari, mas acumulou suspensões e agora se recupera de lesão. Arthur não entrou na lista para a primeira fase do Paulista e ainda teve de tratar uma lesão no púbis, então o colombiano é quem mais jogou em 2019.

Borja foi o titular em Novo Horizonte (SP) e novamente jogou mal. Teve duas boas oportunidades no primeiro tempo: a primeira chutou em cima do goleiro Oliveira, e a segunda não conseguiu cabecear após o desvio de Antônio Carlos na primeira trave.

O primeiro tempo não foi bom de todo o Palmeiras, mas a participação do camisa 9 foi muito tímida. Sem conseguir ganhar jogadas pelo alto e sem se entender com o trio de meias, saiu no intervalo com uma finalização certa, uma errada, quatro toques corretos na bola, dois errados, uma perda de posse e duas faltas cometidas. Os dados são do Footstats.

Com a atuação fraca, Felipão o tirou no intervalo e deu chance a Arthur, para empolgação da torcida, que já sonhava vê-lo em há alguns meses. Mesmo antes de chegar ao gol, o camisa 39 fez o time segurar mais os chutões para frente. Borja não conseguiu fazer isso.

Após 21 minutos, aproveitou a sobra na área, girou e bateu no canto: gol com cara de centroavante. Ele teve ainda uma chance na pequena área para virar, mas a finalização foi travada na hora. Arthur Cabral terminou o jogo com mais posse do que Borja, mais chutes a gol, mas com mais perdas de bola (seis contra uma do colombiano).

Depois de um jogo ruim em Novo Horizonte (SP), o Palmeiras decidirá em casa a vaga na semifinal do Estadual, nesta terça-feira. Deyverson ainda está tratando uma lesão na coxa direita. Borja, sem confiança, não está jogando bem. Será a volta no Pacaembu a primeira chance de Arthur como titular? Eu daria uma chance ao reforço de 20 anos de idade.