Após Scarpa se mostrar solução, Lucas Lima deve ter chance de se reerguer como titular no domingo

Após Scarpa se mostrar solução, Lucas Lima deve ter chance de se reerguer como titular no domingo (Divulgação)

William Correia
15/02/2019
08:00
São Paulo (SP)

Na segunda-feira, na vitória por 2 a 0 sobre o Bragantino, no Pacaembu, Gustavo Scarpa não só fez gol como teve um desempenho exemplar para o que se espera de um armador que faça o Palmeiras funcionar. Dentro da alternância de escalações implantada pelo técnico Luiz Felipe Scolari, Lucas Lima deve reassumir a função contra a Ferroviária, no domingo. E a comparação de seus números com o Scarpa mostra onde ele deve evoluir.

Ao lado de Dudu e Bruno Henrique, Lucas Lima e Gustavo Scarpa são os únicos que participaram de todos os seis jogos do time no ano. E os números do Footstats indicam o camisa 14 muito mais objetivo do que Lucas Lima. Mas é importante apontar que ambos não só podem atuar juntos como chegaram a iniciar uma partida lado a lado, com Scarpa aberto pela direita e dando a assistência para Borja fazer o gol alviverde no 1 a 1 diante do Red Bull.

Jogando aberto ou centralizado, Scarpa só é pior do que Lucas Lima em três quesitos: tem mais lançamentos (sete para o ex-jogador do Santos, que tem 50% de acerto no critério, contra três lançamentos certos e 33,33% de aproveitamento de Scarpa) e passes certos (163 passes certos, com 90,56% de acerto, contra 111 e aproveitamento de 87,4% de Scarpa) e um passe errado a menos (16 contra 17).

Gustavo Scarpa, por sua vez, é bem mais eficiente em quase tudo. A começar nos quesitos mais importantes: tem um gol (convertendo pênalti sobre o Bragantino) e uma assistência (para Borja, contra o Red Bull), enquanto o concorrente está zerado em ambos. O camisa 14 ainda tem nove assistências para finalização, três a mais do que Lucas Lima.

Scarpa também arrisca mais: deu seis finalizações, com acerto de 50%, mesma porcentagem do concorrente, mas Lucas Lima finalizou somente duas vezes. O camisa 14 ainda tem mais cruzamentos (sete, com 33,33% de acerto, contra quatro e 30,77% de aproveitamento de Lucas) e viradas de jogo certos (três e uma errada, com 75% de acerto, enquanto Lucas acertou a única que deu) e menos lançamentos errados (seis, contra sete de Lucas).

Dentro do estilo que Felipão pede, com os jogadores do setor ofensivo pressionando o rival no campo de ataque, Scarpa também é mais eficiente. Cometeu só duas faltas, metade das feitas por Lucas Lima. O ex-jogador do Fluminense ainda recebeu nove faltas, uma a mais do que o concorrente.

São números que expõem uma postura menos incisiva de Lucas Lima, exatamente a crítica que o meia recebeu em sua última chance como titular, na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, no dia 2, no Allianz Parque. Dados que podem inspirar o ex-jogador do Santos, que terminou 2018 elogiado por seu desempenho no segundo turno do Campeonato Brasileiro.​