Palmeiras

Palmeiras desembarcou em Buenos Aires depois de susto em Mendoza (Foto: Cesar Greco)

LANCE!
21/07/2019
19:56
São Paulo (SP)

Alexandre Mattos, diretor de futebol do Palmeiras, deu seu depoimento sobre o tenso voo alviverde a Mendoza, na Argentina. Após duas tentativas de pouso frustradas graças a fortes rajadas de vento, a delegação está em Buenos Aires e tentará viajar para a cidade do jogo contra o Godoy Cruz nesta segunda-feira. 

- Veio o aviso para colocar o cinto, 20 minutos antes da aterrizagem. Eu estava vendo um filme, e aí começa um filme de terror. Primeiro uma turbulência leve, aumentando gradativamente, o avião foi abaixando e ela aumentando. A sensação era de que tinha uma coisa de baixo para cima empurrando as asas, que balançavam. Aí foi a primeira tentativa de pouso, deviam faltar cinco, sete minutos, quando o piloto simplesmente arremeteu e a nova arremetida foi com bastante turbulência. Bem aterrorizante - relatou o diretor, em depoimento à TV Palmeiras.

- Deu uma volta na cidade de Mendoza, também difícil, com muita turbulência, a asa balançando muito. A segunda tentativa foi tão dura e desgastante quanto. Clima de tensão, uns rezando, outros você via a cara de desespero - acrescentou. 

Após as duas tentativas, o voo foi redirecionado para Rosario inicialmente, e em seguida para Buenos Aires. Depois de quase 12h dentro da aeronave e a incerteza climática, o Palmeiras decidiu passar o domingo na capital argentina e tentar voar para Mendoza na segunda.

- Quando pousou em Rosario, teve a tentativa de saber o que fazer, decidiu-se vir para Buenos Aires, onde estamos. Em Buenos Aires teria uma outra tentativa e quando estávamos na pista, o piloto disse que a previsão era complexa para saber se iria dar para pousar. Por isso o Palmeiras decidiu ficar e amanhã enfrentar de novo esta aventura. Não desejo absolutamente a ninguém, uma sensação de impotência terrível. Muito barulho, muita tensão. Basicamente foi nosso filme de terror aqui nesta madrugada - completou.

- Foi assustador, mas os pilotos foram muito competentes de contornar. É um fenômeno não muito comum aqui, zonda, um vento térmico que gerou muita destruição em Mendoza. Tomara que não tenha havido vítimas. Mas vamos com toda a força dos nossos jogadores, deste nosso grupo unido para reverter isso em campo - acrescentou o coordenador de fisioterapia Jomar Ottoni.

A programação inicial do Palmeiras era de chegar em Mendoza por volta das 6h da manhã, mas o grupo só foi sair do avião em Buenos Aires no início da tarde. Por isso, não foi possível realizar qualquer atividade. O único trabalho será nesta segunda-feira. O jogo contra o Godoy Cruz será terça, pela ida das oitavas de final da Copa Libertadores.