Hulk (Shanghai SIPG)

Hulk tem contrato até dezembro com o Shangai SIPG, da China, e tem se aproximado do time do coração (Divulgação)

Thiago Ferri e William Correia
19/02/2020
07:00
São Paulo (SP)

O Palmeiras tem dito que a contratação é muito complicada, diante dos salários pagos pelo Shangai SIPG, da China, mas está cada vez mais próximo de Hulk. E tem aproveitado a presença do atacante no Brasil, enquanto não ocorrem partidas no país em que ele atua, para estreitar relações. Até mesmo os filhos do jogador já estão ligados ao time do coração do pai.

Um dos motivos da visita de Hulk à Academia de Futebol, centro de treinamento do time profissional do Verdão, na terça-feira, tem a ver diretamente com seus dois filhos. Ambos jogavam nas categorias de base do Shangai SIPG e, como passaram a morar em São Paulo, surgiu a possibilidade de atuarem pelo clube que seu pai torce.

Mais uma movimentação realizada por quem sempre foi o ponto de aproximação do Palmeiras com o jogador: João Paulo Sampaio. O coordenador das categorias de base do clube foi técnico do Hulk no time sub-16 do Vitória e teve influência fundamental para que a carreira do jogador decolasse. Surgiu uma amizade e, a partir dela, o atleta foi convidado a estar com sua família no Allianz Parque, no domingo, para ver o triunfo por 3 a 1 sobre o Mirassol.

Hulk nunca escondeu ser palmeirense e seu desejo de atuar pelo clube do coração. No Allianz Parque, chegou a ser visto demonstrando apreensão quando o Mirassol abriu o placar e comemorando a virada da equipe. E esse é outro ponto da estratégia alviverde de convencê-lo: pelo coração.

No domingo, Hulk conversou com Dudu, que estava suspenso. Na terça-feira, quando conheceu as estruturas da Academia de Futebol, teve mais tempo para falar com profissionais do centro de treinamento. Sua visita foi considerada cordial. Conversou com quase todos que encontrou, inclusive com o presidente Mauricio Galiotte, em sua sala particular. Ficou claro como o jogador seria bem recebido caso acerte com a equipe de sua infância.

É aí que aparece a oportunidade. Hulk tem apenas dois jogos como profissional no Brasil, pelo Vitória, no fim de 2004. Desde então, atuou em Japão, Portugal, Rússia e China, com convocações para a Seleção Brasileira entre 2009 e 2016, acumulando 48 jogos, 11 gols e cinco assistências. Já são 15 anos longe do país. Aos 33 anos, embora ainda tenha condição física e técnica de seguir no exterior, pode ter a vontade de retornar para casa, e no time do coração.

Todo esse cenário, contudo, esbarra na questão financeira. A revista France Football publicou em 2019 que Hulk recebe do Shangai SIPG 23,4 milhões de euros (cerca de R$ 110 milhões) por ano, o que representa mais de R$ 9 milhões por mês. Esse é o valor astronômico que fez o Palmeiras se assustar ao consultar as condições de trazê-lo. E o jogador, com contrato somente até dezembro na China, não pretende abrir mão dessa quantia.

Assim, a oportunidade aparece se o Shangai SIPG decidir emprestar Hulk e ajudar, ao menos, com parte dos vencimentos, já que os problemas com o coronavírus tornaram incerta a disputa de torneios na China em 2020. Diante da relação cada vez mais estreita, o Palmeiras vira um candidato importante.

Em qualquer outra situação, os dirigentes do Verdão dizem ser remota a chance de trazer Hulk. Mesmo para 2021, quando ele estará livre no mercado, o ânimo não aumenta muito. O Palmeiras crê que, como o atacante ainda tem mercado no exterior, os gastos com salários, luvas e comissões podem ser altos demais. Dependeria, basicamente, da vontade dele em ceder financeiramente para voltar ao Brasil e, enfim, realizar o sonho de atuar no time do coração.