Dudu Al Duhail

Dudu acertou por um ano de empréstimo com Al Duhail, mas quer ficar mais tempo no Qatar (Divulgação/Al Duhail)

William Correia
20/07/2020
20:05
São Paulo (SP)

Dudu confirmou nesta segunda-feira a sua ida ao Al Duhail, do Qatar, que pagou 7 milhões de euros (aproximadamente R$ 43 milhões) para tê-lo por empréstimo por um ano. Valor que o próprio jogador chama de fortuna e, por isso, o atacante já pensa em ficar mais tempo. Inclusive, sem descartar defender a seleção do país que sediará a Copa do Mundo de 2022.

- Os próprios dirigentes me falaram isso. Se chegar a acontecer isso, é prova de que estarei fazendo um bom trabalho aqui, uma história legal no clube e no país. Sinto a paixão que eles têm pelo futebol. Deve ser difícil um jogador saber que está defendendo outro país, mas também feliz por esse país ter acreditado e confiado em você. Procuro fazer meu melhor dentro e fora de campo e, assim, colher frutos bons - comentou o, agora, ex-camisa 7 do Verdão.

- Meu objetivo é fazer um bom trabalho. Se fizer, vão me comprar. Se não fizer, vou voltar, mas não estarei feliz comigo mesmo, porque me cobro muito para fazer o melhor. Agora, não estou pensando nisso. Quero retribuir o esforço. Não é qualquer clube que paga 7 milhões de euros para ter um jogador por empréstimo de um ano. No meu modo de ver, é muito dinheiro - completou.

Sem metas que obrigam a compra, Dudu será emprestado por 7 milhões de euros. Está previsto o pagamento de 1 milhão de euros (R$ 6,1 milhões) como bônus pelo desempenho de Dudu. E há um valor fixado de mais 6 milhões de euros (R$ 36,7 milhões) para compra, caso o time do Qatar deseje. E o Palmeiras acredita que o jogador convencerá o Al Duhail a desembolsar, no total, 13 milhões de euros (R$ 79,5 milhões), fora o bônus, para tê-lo em definitivo. Ainda assim, o Verdão manteria 20% dos seus direitos econômicos.


Um valor representativo para um jogador que se destacou no Palmeiras, sendo protagonista nas conquistas dos Brasileiros de 2016 e 2018 e da Copa do Brasil de 2015. E só tem chance de jogar pela seleção do Qatar porque não teve sequência no Brasil de Tite, algo que Dudu estranha, mesmo compreendendo.

- Joguei cinco anos em alto nível, como outros jogadores fizeram no Brasileiro e tiveram oportunidades. Tive uma convocação com o Tite, mas não tive oportunidade. Fui um dos melhores por cinco anos, todos anos estava em premiações ou no time ideal do campeonato. É um sonho defender seu país, mas sou bem tranquilo. Oportunidade vai muito do treinador, que tem suas escolhas. Respeito - argumentou o atacante.

- O Tite é um grande treinador, vai fazer muito pela Seleção Brasileira. Aqui, no Qatar, vai ficar ainda mais difícil. Enquanto estiver jogando futebol, sonho. Se não surgir, tenho na minha consciência que construí uma história bonita no Palmeiras e, agora, posso construir no Al Duhail. Tenho certeza de que, quando olhar para trás e ver que joguei no Qatar, poderei contar uma história bonita.