Diogo Barbosa

Diogo Barbosa assegura que Godoy Cruz não será um adversário fácil (Fabio Menotti/Agência Palmeiras/Divulgação)

William Correia
14/05/2019
17:39
São Paulo (SP)

Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores, o Palmeiras terá pela frente, nas oitavas de final, o Godoy Cruz, time que teve o segundo pior desempenho entre os 16 que avançaram. Mas Diogo Barbosa destaca que o adversário, como qualquer equipe argentina, sabe jogar a competição.

- Apesar de ter passado como um dos que menos pontuou, time argentino é difícil. Em uma Libertadores, catimba, sabe jogar. O Godoy Cruz não vai dar essa facilidade toda que estão expondo, não - indicou o lateral-esquerdo.

- Time argentino sabe jogar a Libertadores, mas estamos preparados para enfrentar qualquer um. Temos de estar preparados. Um time da grandeza do Palmeiras não pode ficar escolhendo adversário, não - prosseguiu.

O Palmeiras acumulou 15 pontos de 18 possíveis, com melhores defesa (um gol sofrido) e ataque (13 gols) na campanha geral, em uma chave que tinha o argentino San Lorenzo, o colombiano Junior Barranquilla e o peruano Melgar. Já o Godoy Cruz fez nove pontos, igual ao paraguaio Olimpia, mas ficou atrás no saldo de gols (os argentinos têm dois, com cinco gols feitos e três sofridos, enquanto o Olimpia teve três de saldo, marcando nove gols e levando seis).

Somente o Emelec, clube equatoriano que enfrentará o Flamengo, teve uma campanha pior do que o Godoy Cruz entre os classificados às oitavas de final: somou os mesmos nove pontos, mas apenas com um gol de saldo. Porém, o aprendizado do Verdão, semifinalista da última Libertadores, indica que não se deve esperar facilidade nunca.

- Do ano passado, ficou um aprendizado. Chegamos neste ano totalmente diferentes, mais encorpados e sabedores de como jogar a competição. Estamos bem mais preparados do que no ano passado para conquistar a Libertadores - assegurou Diogo Barbosa.

A Conmebol divulgou nesta terça-feira que os duelos entre Palmeiras e Godoy Cruz serão somente em julho: dia 23, na Argentina, e dia 30, em São Paulo. Mais de dois meses de intervalo, o que faz o Verdão tentar esquecer da competição, mesmo sonhando assumidamente com a conquista continental.

- É claro que pensamos (no título da Libertadores). Não tem como não pensar. A competição é o sonho de todos os jogadores. Eu nunca a conquistei, e vários no grupo também não. É o desejo de todos os atletas. Mas temos de saber separar. O nosso primeiro pensamento é no Santos, no sábado, um jogo que será muito difícil - falou Diogo, lembrando do compromisso pelo Brasileiro.