Marco Polo Del Nero, presidente da CBF (Foto: Leo Correa/Mowa Press)

Marco Polo Del Nero, ex-presidente da CBF e banido pela Fifa (Foto: Leo Correa/Mowa Press)

LANCE!
21/02/2019
17:17
São Paulo (SP)

Um grupo de 32 conselheiros do Palmeiras enviou carta ao presidente Maurício Galiotte pedindo explicações sobre a presença de Marco Polo Del Nero no quadro do Conselho Deliberativo do clube. A decisão partiu de uma matéria publicada pelo "O Estado de S. Paulo", em que levanta-se a possibilidade de o Verdão ser punido.

Del Nero está banido pela Fifa de participar de qualquer atividade ligada ao futebol, mas permanece como membro do CD alviverde. Ex-presidente da CBF e da Federação Paulista de Futebol, ele foi condenado por suborno, corrupção, conflito de interesse e desvio de conduta.

De acordo com o Estadão, o Palmeiras pode até ser rebaixado, por mantê-lo vinculado ao clube mesmo depois do banimento. Por isso, tanto Galiotte quanto Seraphim Del Grande, presidente do Conselho Deliberativo, receberam cartas cobrando explicações.

Seraphim alega que Marco Polo Del Nero está licenciado desde que recebeu a punição da Fifa, e que o conselheiro não participa do dia a dia do Palmeiras, até por isso não há preocupação agora com uma possível sanção. O filho do ex-presidente da CBF foi recentemente eleito conselheiro vitalício do Verdão.

Confira o documento enviado ao presidente do Conselho Deliberativo:

"Palestra Italia, 21 de fevereiro de 2019.

Ilmo. Sr.
Seraphim Carlos Del Grande
M. D. Presidente do Conselho Deliberativo
da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Prezado Senhor.

Nós, conselheiros em exercício e eleitos da Sociedade Esportiva Palmeiras abaixo assinados, vimos pela presente expor e requerer o que se segue:

Considerando matéria veiculada em diversos meios de comunicação sobre a decisão do Comitê Independente de Ética da FIFA de banir por toda a sua vida de atividades relacionadas ao futebol (administrativas, esportivas e outras) o Senhor Marco Polo Del Nero, cuja não obediência sujeitaria a Sociedade Esportiva Palmeiras a uma série de sanções;

Considerando que o mesmo continua integrando como Conselheiro Vitalício o Conselho Deliberativo da Sociedade Esportiva Palmeiras, mesmo que no momento encontre-se sob licença. Licença essa que, dado o seu caráter unilateral, pode ser revogada a qualquer tempo pelo solicitante;

Considerando que a atividade no Conselho Deliberativo pode ser enquadrada como atividade relacionada ao futebol;

Considerando, ainda, pedido feito anteriormente por conselheiros para a convocação de uma reunião extraordinária para deliberar sobre eventual suspensão do referido conselheiro até a decisão final dos recursos, que certamente interpôs contra a decisão referida, não teve maiores andamentos e tampouco esclarecimentos aos signatários;

Requeremos que V. Sa. nos preste maiores esclarecimentos sobre o tema, inclusive com a posição real da FIFA sobre a situação do conselheiro em tela, bem como os riscos de punições que a Sociedade Esportiva Palmeiras sofre.

Certos de v. compreensão e colaboração, reiteramos nossos votos de distinto apreço e alta consideração".