Abel Ferreira

Abel em Barueri: treinador não poupou nem a torcida de críticas nos vestiários (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Rafael Ribeiro
24/04/2022
00:01
São Paulo (SP)

Era de se imaginar que uma vitória por 3 a 0 sobre o maior rival alegrasse o humor de qualquer treinador. Mas Abel Ferreira mostrou mais uma vez que não segue normas. Após o baile do Palmeiras sobre o Corinthians neste sábado, na Arena Barueri, pelo Campeonato Brasileiro, o português aproveitou os microfones para fazer algumas críticas que vinha guardando nos últimos dias.

Nos vestiários após a partida, Abel se disse 'com a saúde alterada', cansado de dar entrevistas e criticou o calendário do futebol brasileiro, fato que usualmente faz desde o início do ano nas coletivas pós-partidas.

- Eu já disse que não temos tempo para treinar, temos tempo para recuperar. Vou ter que começar a ser mais curto nas conferências de imprensa. Falo seis vezes por semana: duas com Goiás, duas com Flamengo e agora estou a falar duas. Minha saúde está completamente alterada, tenho de ter muito cuidado porque a parte física e mental é determinante. Aqui é insano para os jogadores, para os treinadores.

Abel ainda fez questão de questionar e protestar contra o sistema que tanto exige dos treinadores no Brasil e elogiou os profissionais brasileiros.

– Eu nunca disse isso, mas quero dar parabéns aos treinadores brasileiros porque é muito difícil jogar esse campeonato, pela insanidade. Não dão tempo para que o treinador brasileiro possa impor suas ideias. Felizmente, e às custas dos meus jogadores, fui ganhando e me mantendo. Da forma como o calendário está feito é impossível ver a qualidade dos treinadores. Impossível.

Mas as queixas não ficaram somente no calendário. O português aproveitou para criticar a própria torcida, insatisfeito com os gritos de 'olé' proferidos pelas arquibancadas em Barueri no decorrer do Dérbi.

– Vejo o futebol da minha maneira. Eu quero que nossos torcedores a apoiar a equipe, quando o Zé (Rafael) faz aqueles cortes, quando fazemos gol, festejar. Olhar para nossa equipe. Para mim o 'olé' é faltar respeito com o adversário. Nós precisamos de todos os adversários. Por isso que eu estava a dizer para puxar para nossa equipe, esqueça esse 'olé'. Isso acontece em Portugal em outro esporte, não no futebol.

Por fim, claro, sobrou para o elenco palmeirense. Para Abel, o Palmeiras poderia ter feito uma goleada sobre o maior rival neste sábado.

- Se vocês virem o jogo as duas primeiras bolas em profundidade são do nosso adversário. Nós temos três rotas de ataque, desde o primeiro dia aqui já disse. Ou vamos por dentro, ou por fora ou em profundidade. Hoje fomos de todas as maneiras. Fizemos um jogo muito bom, criamos oportunidades, fizemos três e poderíamos ter feito mais. Foi um jogo dentro da nossa linha. O que fizemos neste jogo foi o que fizemos contra o Goiás. É a mesma equipe que perdeu contra o Ceará.

TABELA
> Confira a tabela do Brasileirão, simule resultados e veja a classificação
> Confira o aplicativo de resultados do LANCE!

Clique aqui e ganhe R$50 para jogar no Galera.bet