Brasil é campeão do Pan com Elaine Gomes e garante vaga na Olimpíada

A pivô Elaine Gomes está liberada para voltar aos treinos e competições (Foto: Divulgação)

LANCE!
27/08/2020
17:28
Rio de Janeiro (RJ)

Desde o desligamento da Seleção Brasileira, na véspera da disputa do Mundial de handebol, no final de 2019, no Japão, a vida de Elaine Gomes virou de cabeça para baixo. Com uma suspensão por doping após um tratamento indicado pelo médico de seu último clube na Romênia, a pivô brasileira, campeã mundial com a seleção em 2013, conquistou uma grande vitória nesta quinta-feira, ao obter autorização da justiça desportiva para retornar às quadras a partir de 14 de setembro e, assim, disputar a temporada 20/21.

O pesadelo de Elaine começou em outubro de 2019, quando ela e todo elenco do Corona Brasov fizeram um procedimento médico proibido pela Wada (Agência Mundial Antidoping). Mesmo sem saberem que estavam infringindo as regras, as atletas foram suspensas preventivamente um mês depois, em novembro, e acabaram condenadas em junho desde ano. A pena da brasileira foi de 16 meses, e a atleta só poderia voltar a jogar em março de 2021. Mas ela conseguiu o congelamento do restante da punição, estando apta para seguir na disputa para uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

- Eu ainda não sei o que dizer. É uma felicidade que não está cabendo em mim. Esses últimos dias foram especialmente difíceis, com portas se fechando, além da dificuldade de me manter com um psicológico bom. A gente acaba alternando dias melhores e piores, mas tenho certeza de que o dia de hoje nunca vai sair da minha memória. Finalmente recebi a notícia que tanto esperava e estou liberada para voltar a jogar e fazer o que eu mais amo nesse mundo - disse Elaine ainda sem acreditar que sua vida vai poder voltar para os trilhos novamente.

Mesmo com a incerteza sobre conseguir ou não a decisão que saiu nesta quinta, a pivô se manteve ativa e treinando da melhor forma possível, inclusive durante a pandemia do novo coronavírus. E agradece a ajuda que recebeu de amigos e parceiros nesses meses de insegurança.

- Eu sou muito grata a Deus, a minha mãe, minha família, aos meus amigos, ao Julio Brizzi, Oliveira Neto, Isis Paixão e a muita gente que tentou me ajudar nesse período. Eu venho de uma família humilde. Além de tudo ainda tinha a questão financeira. Mesmo assim, consegui manter a forma, treinei muito sozinha, fiz físico, o que também me ajudou a manter a cabeça boa. Nunca vou conseguir agradecer a todo mundo. Agora me sinto pronta para continuar minha carreira ainda mais forte.

A retomada promete ser rápida. Logo após a notícia da vitória nos tribunais, Elaine já recebeu proposta de alguns clubes europeus e deve seguir atuando entre as melhores do mundo.

- Eu nem acredito que as coisas estão dando tão certo. Já recebi algumas sondagens, mas sou supersticiosa e só quero contar quando for oficial. Agora é hora de respirar, acalmar os ânimos e decidir o melhor caminho junto com a minha empresária. Mas é uma felicidade imensa saber que o meu nome está no mercado e eu vou conseguir voltar a jogar em alto nível. Estou absorvendo uma coisa de cada vez - finalizou.