Time do Andradina EC

Equipe do Andradina teve grandes problemas, mas faz grande campanha  (Foto:Divulgação)

Gabriel Santos
13/06/2019
08:00
Andradina (SP)

Jogadores com dengue e caxumba, ônibus quebrando na estrada, estádio de portões fechados no horário de treinamento dos atletas e equipe trancada no vestiário. Essa é a história do Andradina EC no Paulista da 2° Divisão, o equivalente a quarta divisão do estado.  Porém, mesmo com todos esses problemas, o clube vem fazendo uma boa campanha e está na segunda posição do grupo A da competição, com 18 pontos.

Na primeira fase, os times estão divididos em seis grupos, sendo cinco com sete equipes e um com seis. Os quatro primeiros de cada chave avançam. Na sequência, serão seis grupos de quatro. Garantem vaga à terceira fase os dois primeiros de cada chave mais os quatro melhores terceiros. A etapa seguinte terá quatro grupos de quatro.

Depois, mata-mata, sempre em ida e volta. As quartas de final terão o campeão e vice de cada chave da fase anterior. A finalíssima deve ser disputada em 3 de novembro. 

O Andradina vem em excelente fase perdendo apenas uma partida das nove que disputou no torneio. Mas como explicar essa campanha surpreendente mesmo com tantos problemas extra-campo?

- Damos a vida dentro de campo. Com relação aos problemas e como estamos lidando com eles, tenho dois sentimentos: alegria e preocupação. As dificuldades são grandes e todo dia nós temos problemas. As preocupações espero que tudo se resolva o mais rápido possível e que nós possamos dar a nossa torcida muitas alegrias. Tenho certeza que resolvendo os problemas esse elenco vai longe - afirmou o treinador André Alves, que tem uma história curiosa na carreira.

O jovem treinador de 44 anos comandava o Independente de Birigui, cidade vizinha a Andradina. Classificou o time para a segunda fase da Quarta Divisão na temporada passada, e era adorado pela torcida. Porém, foi demitido de forma inesperada, e está vendo a equipe rival na lanterna do grupo, enquanto o Foguete do Noroeste segue na vice-liderança. A próxima partida do Andradina é justamente contra o Independente, domingo (15), dentro de casa.

André Alves Andradina
Treinador André Alves é querido no clube (Foto:Reprodução)

- Sei como é o futebol, acho que o meu ciclo no momento tinha acabado. Não tenho mágoa de ninguém, é vida que segue, eu no Andradina e eles lá. Sei que trabalhei honestamente e fiz de tudo por eles. Saí pela porta da frente. No primeiro turno vencemos em Birigui e posso dizer que fiquei muito feliz pelo rendimento da minha equipe. Claro que vencer sempre é bom e melhor ainda se vencermos o próximo jogo em casa já que assim, carimbamos a nossa classificação.

André deu a sua versão sobre o episódio antes da partida contra o José Bonifácio, fora de casa, quando os jogadores e a comissão técnica foram trancados no vestiário dos visitantes. Ele afirmou que o fato motivou ainda mais o clube para a partida. O Andradina venceu por 2 a 0.

- Misteriosamente a porta estava trancada na hora que íamos sair pro campo para o começo do jogo. Entramos no vestiário para as últimas conversas e fazer a oração, mas ficamos trancados por 15 minutos e isso motivou ainda mais a nossa equipe. Conseguimos sair com a vitória que foi o mais importante - afirmou o treinador. 

Vestiário Andradina
Andradina comemora vitória sobre o José Bonifácio (Foto:Reprodução)

André prefere não pensar em título para o futuro. Segundo ele, é preciso ir com os pés no chão e primeiramente, confirmar a classificação para a próxima fase. O treinador valorizou a entrega de seus jogadores.

- Sei da força desse time, jogadores querendo muito e se resolvermos os problemas poderemos ir longe. Acho muito cedo para se falar em título, mas sei da força que temos e vamos buscar jogo a jogo a classificação. Esse é o nosso objetivo no momento - finalizou.

Jogador do Andradina já atuou com Gabriel Jesus

O volante Keyllo Mancha pode ser considerado um jogador símbolo da equipe do Andradina. O jogador, que havia passado pelo clube na época das 'vacas gordas', com o apoio da prefeitura da cidade, resolveu voltar à equipe no tempo de dificuldades.

- O que me fez voltar foi o projeto dessa nova diretoria. Quando eu recebi a ligação do presidente Nei e dos diretores Gustavo Brasil e Edy Júnior, fiquei feliz pelas sinceridades nas palavras deles em relação às condições financeiras do clube - explicou.

Keyllo tem passagem pelas categorias de base do Palmeiras, quando atuou juntamente com Gabriel Jesus, hoje atacante do Manchester City (ING) e da Seleção Brasileira. O atleta do Andradina comentou sobre a experiência de jogar com o renomado atacante.

- Foi uma honra atuar com o atual camisa nove da nossa Seleção Brasileira, eu pude ver de perto o sacrifício dele na base, e hoje o levo como minha inspiração. Foi um momento muito bom lá no Palmeiras, e levo esse período como um aprendizado - disse Keyllo.

Keyllo Mancha
Volante Keyllo Mancha já atuou com Gabriel Jesus (Foto:Reprodução)

O jogador destacou a importância do treinador André Alves e da união do grupo para superar as dificuldades enfrentadas por todos na atual campanha do estadual.

- Com a chegada do professor André Alves, mudou praticamente tudo, a união, dedicação, a força de vontade de vencer do grupo, e a humildade de quem está no banco respeitar a vez do próximo e torcer por quem está lá dentro! Estamos usando essas dificuldades como motivação para entrar em campo, dar a vida e mostrar a todos que temos condições de chegar aonde estamos e ir além - explicou o volante.

Diretor faz críticas à prefeitura e se surpreende com campanha do clube

O diretor do Andradina, Gustavo Brasil, fez críticas à prefeitura da cidade, que, segundo ele, deixou de apoiar o clube ao fim da temporada passada. Ele relacionou os seguintes episódios de dengue e caxumba no elenco com o descaso na saúde pública do município, que tem uma população estimada em 55 mil habitantes.

- Perdemos o apoio da prefeitura quando eles quiseram municipalizar o time, e o presidente não aceitou. Achamos que a prefeitura precisa cuidar de outras coisas no município e não de time de futebol. Inclusive provou não ter competência para isso. Um exemplo foi no ano passado. Contávamos com recursos físicos e financeiros, mas mesmo assim, não conseguimos passar da primeira fase. Sobre a dengue e caxumba, isso é um problema de saúde pública, mostrando a incompetência da administração municipal em cuidar dos problemas de saúde do município - afirmou.

Gustavo expressou a surpresa com a boa campanha que o time faz no campeonato, com somente uma derrota em nove partidas, e na vice-liderança do grupo A, principalmente pela falta de recursos financeiros e materiais no dia a dia da equipe.

- Na verdade surpreende sim, sabíamos da qualidade desse grupo, acreditávamos na classificação, mas brigar rodada a rodada pela liderança, e ficar na frente de times financeiramente mais fortes como Osvaldo Cruz e Bandeirante, foi sim surpreendente.  Isso acaba nos mostrando que time de futebol não é banco, não adianta ter só dinheiro, é preciso ter jogadores que se entreguem e deixem tudo sempre em campo. A força vem da vontade de crescer dos atletas, eles querem ser vistos e quem sabe atingir clubes de divisões maiores, todos estão correndo atrás do seu sonho de se tornar um grande jogador de futebol - valorizou o diretor.

Por fim, ele fez um apelo aos empresários da cidade para que apoiem o clube do município, ajudando a atrair mais torcedores, e consequentemente, mais dinheiro para o Andradina. 

- Peço que os empresários olhem por esse time do noroeste paulista que está lutando para sobreviver, empresários, empresas, parceiros, olhem para nós, e vamos fazer negócio, estamos precisando de patrocínio, e, com certeza, sua marca está precisando de um time de força e fibra como o Andradina Esporte Clube, para dar um valor agregado a ela - finalizou. 

O Andradina volta a campo no próximo sábado (15), contra o Bandeirante de Birigui, em casa, ás 15h00.