Rogério Ceni comemorando gol do Fortaleza

Divulgação

Futebol Latino
20/07/2020
10:17
Fortaleza (CE)

Em meio a partida onde o Fortaleza assegurou vaga na decisão do Campeonato Cearense batendo por 1 a 0 o Guarany de Sobral, chamou bastante a atenção a bronca forte dada pelo técnico Rogério Ceni no atacante Romarinho.

Com isso, na coletiva virtual após o compromisso, Rogério respondeu sobre o tema apontando que os chamados "erros primários" são aqueles capazes de tirá-lo do sério em situação que acabou evidenciada pela ausência de público.

Algo que, consequentemente, potencializa a capacidade de captação sonora dos técnicos à beira do gramado:

- Não demonstrei irritação com o ataque, demonstro irritação com os erros, principalmente primários e que acontecem dentro do jogo. O problema é que hoje não tem ninguém no estádio, e cada coisa que você fala, ecoa. Sempre fui do mesmo jeito, mas quando o torcedor está presente, você acaba não escutando tanto o que o treinador está falando. Mas quando existirem erros, vamos sempre estar cobrando o jogador.

Pensando já nas competições que o Leão do Pici terá de enfrentar no segundo semestre (e também no início de 2021 no caso da Série A do Brasileirão), o treinador também falou de maneira aberta sobre como tem sido o planejamento em reforçar o plantel.

Para ele, apesar das naturais dificuldades econômicas existentes em um mercado afetado diretamente pela pandemia, seria importante tanto a manutenção da atual estrutura de elenco como também a possibilidade de contratar, pelo menos, dois nomes.

- Tenho passado ao presidente o que a gente precisa. Acho que no mínimo duas peças para tentar completar as necessidades que a gente tem e torcer para também não perder nenhuma para que a gente mantenha o elenco que tem. Essa pandemia encurtou o dinheiro de todo mundo, mas quem tinha menos dinheiro, ficou em situação mais complicada. A gente não consegue fazer investimentos, então a gente tem que achar ou um jogador novo, um talento, ou um jogador livre de contrato que consiga suprir as nossas necessidades - agregou.