Brasileiros em fuga de Kiev.

Reprodução/Instagram

LANCE!
26/02/2022
12:16
Kiev (UCR)

A esposa do jogador Marlon, do Shakthar Donetsk, fez uma live na manhã deste sábado mostrando que os brasileiros que estavam presos em um bunker começaram a fuga da capital Kiev em direção a uma estação de trem que vai levar brasileiros para a fronteira da Ucrânia. A ajuda do Itamaraty acontece após a divulgação de um novo vídeo neste sábado onde os jogadores cobravam ajuda do governo brasileiro.

Maria Souza, esposa de Marlon, afirmou durante o vídeo que estava no carro em comboio com todos os brasileiros. Ela chorava muito e pedia orações dos brasileiros. Os carros adotaram a estratégia de colocar bandeiras do Brasil em cima dos capôs para tentar evitar um possível ataque, mostrando que ali estavam estrangeiros em fuga.

A gravação acaba com os brasileiros chegando na estação de trem. Maria diz que precisa desligar para ajudar as crianças a deixar o carro. Durante o trajeto uma delas chora muito. 

No vídeo na manhã deste sábado, antes da fuga, membros do grupo reclamaram sobre a proposta do Itamaraty em conseguir um trem para deixar a capital sem o mínimo de segurança estabelecido, inclusive, deixando claro em carta aberta que a decisão de deixar o bunker seria pela conta em risco dos atletas e seus familiares.

No vídeo, Maria afirma que a decisão de sair se deu antes do toque de recolher, já que a Ucrânia definiu que no período noturno todas as pessoas vistas nas ruas são vistas como alvo.

ENTENDA O CASO
Desde 2014, a região de Donetsk se declarou independente da Ucrânia e por conta dos conflitos geopolíticos, o Shakhtar teve que deixar a cidade de origem e atuar em Kiev. O mesmo acontece com a região de Luhansk. Na última segunda-feira, Vladimir Putin, presidente da Rússia, reconheceu a independência das duas províncias.

Nesta quinta-feira, a Rússia decidiu invadir militarmente a Ucrânia com o argumento de que está atuando em defesa das reivindicações territoriais. No entanto, há pouco esclarecimento se a nação de Putin busca apenas garantir a soberania de Donetsk e Luhansk ou se planeja se expandir territorialmente.