Lucas Paquetá e mãe

Lucas Paquetá e sua mãe, Cristiane Tolentino: figura materna foi importante na formação do craque (Arquivo pessoal)

LANCE!
09/05/2021
17:07
Rio de Janeiro (RJ)

Se a vida de jogador de futebol não é fácil com a puxada rotina de treinos e a constante pressão por resultados, imagine como deve ser a vida da mãe dos atletas. Entre xingamentos nas redes sociais e idolatrias, a figura materna dos esportistas convive com intensidade a eletrizante carreira no futebol. O LANCE! conversou com duas mulheres que contaram, no Dia das Mães, como é a experiência de guiar um filho no mundo da bola.

+ Veja a tabela de classificação do Brasileirão A-1

A mãe Cristiane Tolentino conta com orgulho sobre o filhote Lucas Paquetá. Sempre nos colos da nação do Flamengo, tendo passado pelo Milan, da Itália, e vestido a camisa da Seleção, Paquetá atualmente brilha na França, pelo Lyon. A mãezona reconhece que não foi fácil aprender a lidar com as críticas ao "pequeno".

- Realmente, não é fácil ser mãe de atleta. Eu tinha uma certa dificuldade no início em ler comentários maldosos, vendo meu filho ser criticado. Depois pensei: "Se nosso maior jogador do Brasil, o Neymar, é alvo constante de críticas e comentários maldosos, quem dirá o meu filho, que está começando agora. Comecei a não trazer isso para a minha casa e meu coração. Tinha de exemplo nosso maior jogador. Como deve ser para a mãe dele? Se ela consegue, eu consigo. Também saberei separar.

Neymar e Nadine
Nadine Gonçalves é mãe de Neymar Jr. (Reprodução/ Instagram)


ORGULHO E PAIXÃO PELO FLAMENGO

Mesmo com as dificuldades, ela assume o "imenso orgulho" que tem por Lucas e diz que é uma emoção "inexplicável". Ele é motivo de orgulho constante, por todo o empenho, dedicação, comprometimento. Cristiane fala que Paquetá lutou bastante para realizar desejo de jogar pelo Flamengo.

- Carreira de jogador de futebol não é fácil. No caso do meu filho, ele fez uma única peneira e foi aprovado, no primeiro teste. No decorrer dos anos, a gente teve inúmeras situações complicadas, onde ele precisou de suporte nosso - conta ela, que lembrou uma das situações onde a presença da mãe foi fundamental.

Lucas Paquetá - Flamengo
Paquetá, em 2017, com a camisa do Mengão (Gilvan de Souza / Flamengo)

- Uma delas foi quando ele teve um retardo ósseo, não maturou, e chegou a treinar com categorias inferiores (ainda nas categorias de base). Foi bem complicado. A minha família é muito unida. A gente sustentou. Eu incentivava todos os dias para ele ir para frente. Superar barreiras e limites para ser um jogador. Acho que, nessa jornada toda, o principal, como mãe que acompanhou o tempo todo, foi a vontade dele de saber o que queria e onde queria chegar - conta a fã número 1 da cria rubro-negra. 

MÃE SOFRES COM FILHOS DESDE A CATEGORIA DE BASE

Muitos jogadores assumem que a fase infantil e inicial de um atleta é complicada pelo número de peneiras e as poucas oportunidades no funil gigantesco do futebol. Se a rotina de Paquetá na base foi complicada, uma mãe vive, nos dias de hoje, o turbilhão de emoções. 

Com passagens por grandes clubes como Corinthians e Palmeiras, Jonatas Marcinkevicius brilha mesmo com a pouca idade. Com apenas 12 anos, Jonatas vem se destacando nas categorias de bases. Vendo o filho crescer na luta pelo sonho de ser atleta, Maria José, mãe do garoto, sabe que o caminho é longo, mas, o orgulho é ainda maior. 

- Tem que ter muita calma, persistência. E nós temos que apoiar e ensinar sempre, pois nada é fácil. As críticas são um aprendizado para o crescimento dele. Para mim, como mãe, é muito gratificante, porque a emoção é grande demais.  

Atualmente, na pandemia, o jovem está em treinamento no Ferroviária, que possui um centro de treinamento perto da residência dele. Jonatas espera conseguir custear suas despesas e aliviar as finanças em casa.

Jonatas José Marcinkevicius
Jonatas, com a camisa do Timão (Arquivo pessoal)