Neymar

Neymar é acusado de assédio sexual (FRED TANNEAU / AFP)

LANCE!
27/05/2021
22:41
Paris (FRA)

Segundo o "Wall Street Journal", o término do contrato entre a Nike e o brasileiro Neymar envolveu uma denúncia de assédio sexual feita por uma funcionária da empresa. Nesta quinta-feira o portal norte-americano publicou uma reportagem em que a conselheira geral da empresa, Hilary Krane, revela que o rompimento aconteceu após o jogador não colaborar com as investigações sobre o caso, ocorrido em 2016.

+ Confira a classificação dos grupos da Libertadores!

– A Nike encerrou seu relacionamento com o atleta porque ele se recusou a cooperar em uma investigação de boa fé de alegações confiáveis feitas por uma funcionária de irregularidades cometidas – afirmou Krane, ao jornal norte-americano.

De acordo com o jornal, o contrato de Neymar com a fornecedora de material esportivo, encerrado em setembro do ano passado, teria mais oito anos de duração.

A autora da denúncia é uma funcionária da Nike responsável pela coordenação da logística dos eventos em que Neymar participaria. Ela afirma que o jogador teria a forçado a praticar sexo oral em um quarto de hotel em Nova York. Ao "Wall Street Journal", a conselheira geral da empresa de materiais esportivos pondera que o assunto não havia sido destacado publicamente por conta da investigação ainda em curso.

- Nenhum conjunto único de fatos emergiu que nos permitiria falar substantivamente sobre o assunto. Seria impróprio para a Nike fazer uma declaração acusatória sem ser capaz de fornecer os fatos de apoio – disse Hilary Krane.

A denúncia foi apresentada ao chefe de recursos humanos da empresa, em 2018. Em defesa da funcionária, a Nike contratou o escritório de advocacia Cooley LLP, um dos mais renomados dos Estados Unidos. A investigação foi iniciada em 2019. O porta-voz de Neymar nega todas as acusações.

- Neymar Jr se defenderá vigorosamente contra esses ataques infundados caso alguma reclamação seja apresentada, o que não aconteceu até agora – diz a nota enviada pela representante do brasileiro, que reitera que a separação foi por motivos comerciais - afirmou.

Ainda segundo o jornal, apesar dos representantes do brasileiro terem sido entrevistados, Neymar recusou o convite para depor. Em seguida, a Nike retirou o jogador das ações de marketing da empresa.