Hulk

Camila Ângelo e Hulk estão noivos (Foto: Reprodução)

LANCE!
06/09/2020
19:13
Rio de Janeiro (RJ)

Após a ex-mulher de Hulk, Iran Ângelo, desabafar nas redes sociais no dia do aniversário da sobrinha Camila Ângelo, atual noiva do jogador, foi a vez da ex-cunhada se pronunciar. A médica Débora Ramos, irmã de Marcos Maciel, ex-marido de Camila, fez críticas ao relacionamento do casal, que começou através de uma traição. 

A ex-mulher do jogador, Iran Ângelo, quebrou o silêncio e desabafou no dia do aniversário da sobrinha, neste último sábado. Iran, que revelou que a sobrinha era como uma filha, comparou a traição com um sepultamento e declarou que, para ela, a Camila está "morta".

- Dei tudo a essa menina desde que ela veio ao mundo. Sacrifiquei tantas vezes meus sonhos para realizar os sonhos dela. E aqui não falo só de bens materiais, pois esses são fáceis de serem dados quando se tem dinheiro, mas de amor, carinho, atenção, respeito… tudo. Ela sabia minhas fragilidades, inseguranças, dores, medos, planos, e tinha meu amor incondicional. Ela administrava minha vida, e para mim tudo que ela falava era bom, era certo, era ético. Para mim, ela era perfeita em tudo e a ela entreguei o rumo da minha vida. Se eu errei, meu Deus, foi por amar e confiar demais. Mas como é difícil viver o primeiro aniversário de alguém quando a gente a sepultou - escreveu Iran Ângelo.

Irmã do ex-marido de Camila Ângelo, a médica Débora Ramos comentou na publicação de Iran afirmando que considerava a atual noiva do jogador uma irmã e destacou que a "frieza" dela nas conversas com Hulk no telefone. Ela ainda chamou a ex-melhor amiga de "mentirosa" e  que a relação foi "suja" desde o início. 

- Me lembro como hoje ela até altas horas da noite com Hulk no telefone e eu questionava o que era. Ela sempre: trabalho, agora eu que resolvo tudo. Tudo passa por mim. E eu inocente, como todo mundo, acreditava. Camila mentia pra todos com uma facilidade que é difícil de acreditar que uma pessoa tenha tal frieza, algo que merece inclusive ser estudado até por psiquiatra porque não acho normal tal comportamento. Eu amava como uma irmã que não tive e minha mãe como uma segunda filha, a acolhemos desde os seus 17 anos mas hoje percebo que nunca realmente conhecemos quem verdadeiramente era Camila - comentou Débora. 

- Não vou mentir que estranhava sua frieza muita vezes, mas acreditava que cada um tinha o seu jeito de ser, era peculiar... mas não ao ponto de tamanha traição. Todo casamento é passível de término, ainda mais nos dias de hoje, mas a maneira como foi feito, como tudo aconteceu, como eles agiram, foi sujo. Hoje olho pros dois e não reconheço. Não vejo mais numa foto Camila e Hulk, mas sim dois desconhecidos que mais se parecem dois monstros que são capazes de passar por cima de qualquer pessoa - completou. 

Ver essa foto no Instagram

Há um ano atrás, apesar do sofrimento e confusão que minha vida mergulhou, eu precisava comemorar, dá um tempo na dor, para celebrar o aniversário da minha filha e assim fiz. Sim, ela era minha filha, assim como os meus outros filhos Ian, Tiago e Alice. Acordo e adormeço sem entender porque tudo isso aconteceu comigo. A dor é muito grande, às vezes penso que vai arrancar meu coração, mas Deus vem e me ampara. Ele tem sido o meu sustento. Dei tudo à essa menina desde que ela veio ao mundo. Sacrifiquei tantas vezes meus sonhos para realizar os sonhos dela. E aqui não falo só de bens materiais, pois esses são fáceis de serem dados quando se tem dinheiro, mas de amor, carinho, atenção, respeito... tudo. Ela conhecia minhas fragilidades, inseguranças, dores, medos, planos, e tinha meu amor incondicional. Ela administrava minha vida, e para mim tudo que ela falava era bom, era certo, era ético. Para mim, ela era perfeita em tudo e à ela entreguei o rumo da minha vida. Se eu errei, meu Deus, foi por amar e confiar demais. Mas como é difícil viver o primeiro aniversário de alguém, quando a gente a sepultou. Foi difícil não estar junto dos meus pais e do meu irmão no dia dos seus aniversários, sentimos que vazio toma conta da gente. Imagina quando você sepultou uma filha em vida? Não queiram conhecer esse sofrimento que dilacera a alma, que arranca um pedaço da gente. Hoje eu vivo novamente a dor do sepultamento que aconteceu no dia 21 de dezembro, véspera de Natal de 2019, porque eu sei que você, minha irmã e mãe, precisa seguir. Como mãe que sou, sei que é chegada a hora de você seguir para junto da sua filha, e não quero que você se sinta presa por minha causa. Deve ter sido muito difícil ficar todo esse tempo sem qualquer contato com ela, sem ouvir a voz, sem dar um abraço. Porque se para mim foi e é um massacre lidar com essa realidade, imagino para você. Se nossa mãe estivesse aqui ela estaria incondicionalmente do meu lado, não tenho dúvida disso, e mandaria que você seguisse. De coração em pedaços, não vou mentir, estou pronta para você seguir. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS...

Uma publicação compartilhada por Iran Angelo 🙏🏻❤️😘😍 (@iran_angelo) em