Robson do Nascimento, ex-funcionário do meio-campista Fernando, segue preso na Rússia desde março de 2019

Robson está preso na Rússia pelo transporte de medicamentos (Foto: Reprodução)

LANCE!
07/10/2020
15:06
Rio de Janeiro (RJ)

O volante Fernando, do Beijing Guoan, da China, voltou a se manifestar sobre o caso de Robson, um ex-funcionário do dele contratado para levar medicamentos à Rússia que terminou preso naquele país, há um ano e meio. Pelas redes sociais, o atleta agradeceu o  presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira pela promessa de interceder junto às autoridades russas. 

– Gostaria de agradecer o presidente Jair Bolsonaro por ter entrado publicamente na luta do #JustiçaPorRobson. Sabemos da complexidade da situação, mas temos certeza de que sua ajuda será fundamental para que consigamos provar a inocência do Robson. Espero que a postura do presidente inspire as pessoas a não julgarem a mim e minha família de forma errada, sem conhecimento dos fatos como eles realmente são – escreveu o jogador. 

Na última terça, Bolsonaro fez a primeira manifestação pública sobre o caso e prometeu pedir a liberação de Robson ao governo russo, apesar da estar ciente da complexidade do caso. Robson foi detido na Rússia, após ingressar no país com remédios que contêm substâncias proibidas no país, mas liberadas no Brasil. Os medicamentos pertenciam a William Faria, sogro de Fernando. Na época, Robson alegou que não sabia o conteúdo mala, e que foi informado pela família do jogador que se tratavam de roupas e mantimentos. Fernando e a família se mudaram para a China, após o jogador ter acertado uma transferência do Spartak para o Beijing Guoan, em meados de 2019.

Na última terça, Bolsonaro fez a primeira manifestação pública sobre o caso e prometeu pedir a liberação de Robson ao governo russo, apesar da estar ciente da complexidade do caso.

Robson foi detido na Rússia, após ingressar no país com remédios que contêm substâncias proibidas no país, mas liberadas no Brasil. Os medicamentos pertenciam a William Faria, sogro de Fernando. Na época, Robson alegou que não sabia o conteúdo mala, e que foi informado pela família do jogador que se tratavam de roupas e mantimentos.

Fernando e a família se mudaram para a China, após o jogador ter acertado uma transferência do Spartak para o Beijing Guoan, em meados de 2019.