Emiliano Sala

O argentino foi vítima de um acidente aéreo no início de 2019 - (Foto: LOIC VENANCE / AFP)

LANCE!
23/02/2022
17:32
Rio de Janeiro (RJ)

Três anos após a morte do atacante Emiliano Sala, análises realizadas no corpo do jogador argentino indicam que ele foi exposto a altos níveis de monóxido de carbono. Por conta disso, o atleta sofreu uma intoxicação antes mesmo da queda do avião, que matou também o piloto Dave Ibbotson em janeiro de 2019.

Nesta quarta-feira (23), o jornal francês "Le Parisien" divulgou que altas doses de monóxido de carbono levaram o argentino a perder a consciência antes do acidente fatal. Sala apresentava um nível de saturação de mais 50%, indicando um envenenamento grave.

O ex-atacante do Nantes acabava de assinar contrato com o Cardiff City, e viajava rumo ao País de Gales quando sofreu o acidente no Canal da Mancha. Durante o trajeto, o avião foi perdido num entorno de 20 quilômetros ao norte da ilha inglesa Guernsey.

As buscas foram iniciadas no dia 30 de janeiro de 2019, com possíveis partes do avião sendo encontradas. Contudo, somente no dia 06 de fevereiro foi encontrado um corpo, que posteriormente foi confirmado como sendo de Emiliano Sala.

Revelado pelo Bordeaux, Emiliano Sala teve passagens por Crato, Orléans, Chamois Niortais e Caen, até chegar ao Nantes, em 2015. Em janeiro de 2019, foi contratado pelo Cardiff City, mas morreu antes de fazer sua estreia pela equipe, que pagou 15 milhões de libras (R$ 73 milhões à época) pelo negócio.