Jogadores na Ucrânia

Jogadores brasileiros e seus familiares pediram socorro pelas redes (Foto: Reprodução de internet)

LANCE!
24/02/2022
09:53
Rio de Janeiro (RJ)

A guerra iniciada na Ucrânia nesta quinta-feira após ataques comandados por Vladimir Putin, presidente da Rússia, vem causando reflexos no esporte mundial. Pela internet, o perfil da Uefa Europa League recebeu uma enxurrada de mensagens que apontavam uma insensibilidade dos administradores do perfil.

As mensagens negativas começaram a aparecer em uma postagem no Twitter onde o perfil desejava uma 'feliz quinta-feira'. Até o momento, oito jogos estão previstos no torneio para hoje, incluindo Napoli x Barcelona e Rangers x Borussia Dortmund. Os internautas que atacaram a página pediam que os jogos sejam cancelados por causa da crise no Leste Europeu. 

Uefa Europa League - Crise na Ucrânia
Postagem foi apagada, mas antes recebeu muitas críticas (Foto: Reprodução/Twitter)

+ Veja quem são os jogadores brasileiros na Ucrânia

Os jogadores brasileiros de Shakhtar Donetsk e Dínamo Kiev publicaram um vídeo na manhã desta quinta-feira, nas redes sociais, pedindo ajuda do Governo do Brasil para deixarem a Ucrânia. Segundo Marlon, zagueiro formado no Fluminense e porta-voz do grupo, as fronteiras do país estão fechadas e o momento é de apreensão.

O que já disse a Uefa?
A Uefa afirmou que irá promover uma reunião extraordinária nesta sexta-feira por conta dos ataques da Rússia contra a Ucrânia. A entidade disse, através das redes sociais, que irá avaliar a situação e tomar decisões necessárias, mas que uma nova comunicação só se dará após o encontro.

Durante esta semana, houve especulações sobre uma possível mudança de sede na final da Champions League. Inicialmente, o confronto está marcado para acontecer em São Petersburgo, na Rússia, mas por conta dos problemas geopolíticos é possível que ocorra uma alteração.

Entenda o caso
Desde 2014, a região de Donetsk se declarou independente da Ucrânia e por conta dos conflitos geopolíticos, o Shakhtar teve que deixar a cidade de origem e atuar em Kiev. O mesmo acontece com a região de Luhansk. Na última segunda-feira, Vladimir Putin, presidente da Rússia, reconheceu a independência das duas províncias.

Nesta quinta-feira, a Rússia decidiu invadir militarmente a Ucrânia com o argumento de que está atuando em defesa das reivindicações territoriais. No entanto, há pouco esclarecimento se a nação de Putin busca apenas garantir a soberania de Donetsk e Luhansk ou se planeja se expandir territorialmente.