Craque Neto

Neto fez analogia com relógio de caveira para citar dirigentes do Timão (Foto: Reprodução/Instagram)

LANCE!
20/01/2021
13:31
São Paulo (SP)

Ídolo do Corinthians, Neto usou o stories do Instagram, na última terça-feira, para mandar um recado para o 'bando de loucos'. O ex-jogador, que também é Conselheiro do Timão, afirmou que participou de uma reunião onde teria sido discutido o futuro do clube. Lá, Neto ganhou um relógio com uma caveira, e usou o objeto para fazer uma analogia com os atuais mandatários.

+Confira a campanha do Timão no Brasileirão e simule resultados!

- Tive uma reunião legal, um cara muito legal. E o filho dele me deu esse relógio com uma caveira. E é isso que essas pessoas vão se tornar daqui uns três anos: caveira. No poder não vão ficar mais - afirmou.

Casos as mudanças venham a acontecer, Neto complementou que eu uma nova gestão o clube voltaria a lutar por grandes títulos, como a Libertadores da América e o Mundial de Clubes, taças conquistadas pelo Timão em 2012.

- E ai o Corinthians vai brigar por Libertadores, Mundial, por muita coisa. E é isso que vai acontecer, vocês pode ter certeza. Que nós vamos pra cima. E muito pra cima. Espera pra ver - concluiu.

NETO QUER SER PRESIDENTE?

A chapa Liberdade Corinthiana, da qual o ex-jogador é membro, foi eleita para compor o Conselho Deliberativo para o próximo triênio, em novembro de 2020. Neto já pertenceu ao quadro de conselheiros do clube no mandato entre 2012 e 2015, tendo assim o requisito necessário para concorrer ao cargo de "homem forte" do Timão.

Ainda em 2020, o ex-camisa 10 corintiano declarou que iria se candidatar ao pleito presidencial de 2023. No entanto, Herói Vicente, líder da chapa "Liberdade Corinthiana" afirmou em live para o canal "Capitão Corintiano", no YouTube, que ele não será o vice do apresentador, e sim a cabeça da chapa na candidatura à presidência em 2023.

Tanto Neto quanto Herói são nomes de oposição dentro do Parque São Jorge. Tanto é que a chapa "Liberdade Corinthiana" não apoiou um candidato específico à presidência, mas se declarou contrária ao posicionamento favorável a Duílio Monteiro Alves, que acabou vencendo o pleito com 1.081 votos e batendo Augusto Melo (939 votos) e Mário Gobbi (783 votos).