Fernando Diniz - Fluminense

Fernando Diniz tem um bom dilema para os próximos jogos (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Joel Silva
24/07/2019
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

A vitória sobre o Peñarol amenizou a pressão dentro do Fluminense. Afinal de contas, o time não vencia há oito jogos, somando quatro empates e quatro derrotas. O resultado positivo também mostrou ao técnico Fernando Diniz que algumas mudanças na equipe precisam ser colocadas em prática, mesmo que para isso, algumas convicções e intocáveis fiquem pelo caminho.

A começar no gol tricolor.  Agenor, que além de ter pouco prestígio com a torcida tricolor, também vive um drama pessoal, com o filho pequeno internado por conta de uma pneumonia. O goleiro deu lugar a Muriel, que fez a sua estreia pelo Fluminense e não decepcionou. Com boas defesas, foi um dos destaques do time. No entanto, ao jogar com os pés, mostrou um pouco de insegurança, dando chutões em vários momentos da partida. Apesar disso, Fernando Diniz gostou da estreia do jogador.

- Acho que o Muriel fez uma boa estreia. A gente conseguiu prepará-lo e nos últimos dias, de forma mais intensa. Já tinha definido que ele começaria jogando, então ele fez uma grande estreia e tem tudo para crescer porque o goleiro com a gente tem um protagonismo muito grande com os pés, está toda hora com a bola e a gente procurou deixá-lo na zona de conforto. Quando ele achou necessário, fez as bolas longas. Ficou confortável para jogar - avaliou Diniz.


Apesar da boa atuação, ficou nítido que Muriel vai precisar de mais tempo para se adaptar ao estilo de jogo, tendo que trabalhar com os pés a todo momento, situação que Agenor já está acostumado. Entretanto, defendendo a meta tricolor, Muriel passou mais confiança. A justificativa para barrar o antigo titular foi de que o problema familiar afetou as suas condições psicológicas, porém com o destaque de Muriel, somado à vitória, Diniz pode manter a mudança.  

Equilíbrio ofensivo


Indiretamente, a lesão de João Pedro resolveu um problema do Fluminense. Antes de se machucar, a Joia de Xerém estava atuando mais pelos lados do campo, com Pedro fazendo a função de referência. Dessa forma, o ataque ficou desequilibrado, já que João Pedro não possui a característica de um velocista, mas sim de um finalizador.

Sem condições de jogar, João Pedro deu lugar a Marcos Paulo, que é um especialista da posição. A entrada da outra cria tricolor, deu velocidade, mobilidade e maior poder de marcação, já que essa função dá mais responsabilidades defensivas. Foi dessa forma inclusive que saiu o primeiro gol do Fluminense, com Marcos Paulo fazendo pressão na saída, recuperando a bola e dando um lindo passe para Yony abrir o placar. 

A partida contra o Peñarol foi a segunda como titular de Marcos Paulo e ficou marcada como a melhor do atacante pelo time profissional do Fluminense. A tendência é de que o jogador seja mantido, já que Nenê não vai poder enfrentar o São Paulo e João Pedro ainda é dúvida por conta da torção no tornozelo direito.

O fato em questão não é escalar ou não Marcos Paulo, mas sim colocar o jogador da posição para desempenhar a função e até o momento, ficou claro que João Pedro disputa posição com Pedro e não com o companheiro dos tempos de base.