Fluminense

Pedro Abad é o presidente do Fluminense (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)

Marcello Neves
12/04/2019
17:52
Rio de Janeiro (RJ)

Um dos fatores que separa o Fluminense das novas eleições para presidente é o uso da urna eletrônica. A questão ainda falta ser definida para que o novo mandatário do Tricolor seja escolhido. O desejo dentro do clube é que as votações sejam feitas pelo meio eletrônico e o pedido de mas ainda liberação junto ao TRE-RJ aconteceu nesta quinta-feira. 

O LANCE! apurou que Fluminense já iniciou os processos para ter a urna eletrônica. O clube já conversou com o TRE-RJ sobre o possível uso do equipamento. A expectativa do Tricolor é que uma data concreta para a nova eleição seja conhecida já na próxima semana.

Com exceção da tecnologia, tudo caminha para que a eleição ocorra. Como o desejo do Conselho Deliberativo é que os torcedores votem a partir da urna eletrônica, o Fluminense vai buscar uma data com o TRE-RJ para o uso. Porém, o clube conta com 'concorrência', já que as urnas serão utilizadas em algumas ocasiões, como para eleições complementares em alguns municípios e para testes nacionais. 

Por conta do choque de datas, o clube não esconde a possibilidade de realizar as eleições pelo meio tradicional, a partir de cédulas de papel. A preferência pelas urnas eletrônicas se diz muito por conta da rapidez para o anúncio do resultado. Esse equipamento foi utilizado nas eleições de 2016, quando Pedro Abad assumiu como presidente do Fluminense.

A eleição, originalmente, ia acontecer em novembro. Em janeiro desse ano, porém, Pedro Abad pediu uma antecipação das votações, o que foi aprovado pela Assembleia Geral do clube. Até aqui, existem dois pré-candidatos: uma união entre Mário Bittencourt e Celso Barros, e Ayrton Perez sendo o outro.