Fluminense Mário Bittencourt

Mário Bittencourt será o presidente do Fluminense até dezembro de 2022 (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC)

Joel Silva
10/06/2019
21:38
Rio de Janeiro (RJ)

Em cerimônia realizada no Salão Nobre das Laranjeiras, o presidente Mário Bittencourt e o vice-presidente geral Celso Barros tomaram posse, iniciando oficialmente o mandato da nova diretoria, que terá duração até dezembro de 2022. Os dois faziam parte da chapa "Tantas Vezes Campeão", que foi eleita no último sábado, com 2225 votos, contra 1032 da chapa "Libertadores", do empresário Ricardo Tenório.

Em seu discurso, Mário Bittencourt fez questão de agradecer e homenagear o seu vice, Celso Barros.

- O Celso Barros nos trouxe ídolos, como Romário, que foi apresentado no Maracanã lotado em pleno dias dos pais. Depois nos deu títulos, como o Carioca de 2005, a Copa do Brasil de 2007, os brasileiros de 2010 e 2012, além das belíssimas campanhas na Libertadores de 2008 e na Copa Sul-Americana de 2009. Estamos aqui hoje porque 20 anos atrás, um homem proporcionou isso. Peço que, de pé, aplaudam Celso Barros.

Além dos agradecimentos a Celso Barros, Mário Bittencourt aproveitou a oportunidade para destacar a disputa limpa com Ricardo Tenório e pela ajuda de Pedro Abad na transição.

- Agradeço ao Abad, pela honradez de nos passar, ainda no sábado à noite, algumas situações do clube. Apesar do curto espaço de tempo, ele vem nos ajudando muito na passagem de bastão. Queria pedir também uma salva de palmas para o Ricardo Tenório, pela forma que disputou a eleição, sempre prezando o debate e as ideias.

Mário fez questão de pedir a união de todos no clube, para que o Fluminense seja ainda mais forte.

- O Fluminense precisa do apoio de vocês, do abraço de todos. Precisamos de união e evitar a fragmentação. Eu espero que essa maturação passe também pelos conselheiros do clube já que o nosso conselho eleito só toma posse em dezembro.

A nova diretoria do Fluminense será composta pelos vice-presidentes Heraldo Lunes (jurídico), Leonardo Lunes (finanças), Luiz Fernando Moura (administrativo), Newton de Souza Júnior (governança e compliance) e Rui Reisinger (base).