Odair Hellmann

Odair Hellmann durante treinamento do Fluminense no CT Carlos Castilho (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)

Luiza Sá
22/07/2020
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense saiu com confiança mesmo após a derrota na final do Campeonato Carioca. Agora, prestes a iniciar o Brasileirão, o técnico Odair Hellmann começa a avaliar o elenco para a competição mais longa da temporada. Uma das grandes críticas da torcida ao trabalho do treinador é com relação à utilização dos jogadores formados na base do Tricolor. Em 2020, o comandante colocou em campo 12 atletas saídos de Xerém. No entanto, apenas dois deles são titulares.

Os jogadores utilizados foram Marcos Felipe, Digão, Igor Julião, Miguel, Pablo Dyego, Marcos Paulo, Wellington Silva, Lucas Barcelos, Matheus Pato, Matheus Alessandro, Gabriel Capixaba e Evanilson. Destes, pelo menos seis já estão no profissional há mais tempo e faziam parte do elenco tricolor anteriormente. Outros três fazem parte do grupo do sub-23 e apenas reforçaram o time por conta dos desfalques. Portanto, Miguel, Evanilson e Marcos Paulo são os únicos considerados maiores novidades e que de fato tem lugar no elenco principal.

Dos 38 atletas que estão no elenco profissional atualmente, além dos que já foram citados, Odair tem à disposição André, Luiz Henrique, Nascimento, Macula, Luan, Marcelo Pitaluga, Pedro Rangel, Paulo Victor, Calegari, Martinelli e Frazan (lesionado). Todos ainda não utilizados pelo treinador. Portanto, são 20 formados por Xerém.

Tempo em campo

O goleiro Marcos Felipe, de 24 anos, é banco para Muriel e teve dois jogos no ano, quando o titular ainda se recuperava de lesão. Dentre os jogadores com mais minutos jogados, o zagueiro Digão entra na lista dos mais usados, com 12 partidas em 2020, uma a mais do que Nino, que hoje é o titular.

O jovem Miguel é o segundo reserva com mais minutagem em campo, perdendo para Fernando Pacheco por 35 minutos de diferença. Isso se deve muito às poucas oportunidades que ganhou após a volta do Campeonato Carioca.

O atacante Wellington Silva soma 10 jogos no ano, estava na equipe titular, mas acabou contaminado pela COVID-19 e perdeu a posição. Tem 10 jogos em 2020. Já Evanilson e Marcos Paulo são os únicos que podem ser considerados titulares neste momento e são também dois dos que mais tiveram tempo de jogo.

Reforços?

Antes de olhar para o mercado, o Fluminense deve analisar a possibilidade de ganhar reforços caseiros. Com a indefinição sobre o calendário do sub-23, muitos atletas que estavam nessa categoria justamente para ganhar mais rodagem devem ser aproveitados. É a mesma situação de jovens do sub-20, integrados ao profissional.

Vale lembrar que uma das grandes receitas do Fluminense ao longo dos últimos anos consiste justamente em vender os jogadores formados em Xerém. Os últimos exemplos foram os atacantes Pedro e João Pedro, que podem ser acompanhados por Marcos Paulo em breve.

O jovem do Flu é visto como uma das maiores joias do clube atualmente e está sendo observado por equipes de fora do país. Portanto, a base é vista como uma salvação não só dentro do campo, mas principalmente para os cofres.

Veja a lista de atletas no elenco profissional por posição:

Goleiros
Marcelo Pitaluga, Pedro Rangel e Marcos Felipe

Zagueiros
Luan, Frazan e Digão

Laterais
Calegari e Igor Julião

Meias
André, Nascimento, Macula, Paulo Victor, Martinelli e Miguel

Atacantes
Luiz Henrique, Evanilson, Marcos Paulo, Pablo Dyego, Wellington Silva e Matheus Alessandro