Odair Hellmann - Fluminense x Palmeiras

Odair Hellmann durante o empate do Fluminense com o Palmeiras (Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE FC)

Luiza Sá
13/08/2020
00:54
Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense fez mais uma partida abaixo do esperado e ficou no empate por 1 a 1 com o Palmeiras na noite desta quarta-feira, no Maracanã. Uma das novidades no time titular foi a entrada do atacante Fred, que acabou tendo que ser substituído ainda na primeira etapa por lesão. Após a partida, em entrevista coletiva por videoconferência, o técnico Odair Hellmann explicou a opção por utilizar o camisa 9 no lugar de Marcos Paulo e exaltou a importância do grupo para o Campeonato Brasileiro.

- A avaliação do Fred é que ele está retornando de uma situação de intervenção cirúrgica, já vinha treinando. Fizemos essa volta gradativa. A ideia era levar ele em campo o máximo para que a gente elevasse o ritmo de jogo. É um grande jogador, vai nos ajudar muito. Como sempre falei, valorizo o grupo e e ele faz parte. É um excepcional jogador. Quando iniciar vai nos ajudar e quando não jogar também. A ideia é que nos ajude dentro do campo. Isso não é em relação ao Fred, mas a todos. Pode ver que nas duas partidas tivemos algumas modificações e deram boa resposta. Isso é de grupo. Domingo tem jogo novamente e vamos precisar de todos muito bem para que possamos usar, iniciar com uma equipe em um momento e outra depois. Todos vão participar. Em algum momento um vai ter uma sequência maior, depois vai ter que dar uma segurada. É um campeonato difícil, que exige limite. Temos que ter o grupo à disposição para fazer jogos na alta qualidade exigida - explicou.

Um dos jogadores mais questionados pela torcida neste momento é o meia Nenê. O veterano foi o único do ataque que ainda não começou no banco de reservas desde que voltou após se recuperar da Covid-19. Odair afirmou que o jogador será titular no duelo contra o Internacional, no próximo domingo, no Maracanã, e avaliou bem as opções feitas no time titular e nas substituições ao longo do duelo. Paulo Henrique Ganso, Luiz Henrique, Wellington Silva e Marcos Paulo saíram do banco.

- O Nenê continua e continuará iniciando. Pelo menos a próxima partida. Se depois eu tiver que tomar uma decisão, farei com o Nenê, Fred, Evanilson. Eu os vejo com a mesma importância. Trabalho com o grupo de jogadores. A resposta foi boa, tanto dos que iniciaram, por exemplo o Luccas Claro, e dos que entraram - disse, antes de citar a dificuldade que o Flu ainda encontra para criar chances claras de gol.

- O primeiro tempo, até os 20, tivemos dificuldades na iniciação. Sofremos o gol quando perdemos a posse. Nós também buscamos o gol na construção e o empate e, posteriormente, a vitória. Merecíamos uma situação diferente. No segundo tempo fomos melhores, tivemos mais volume. O jogo ficou em aberto. No primeiro tempo o Palmeiras jogou mais no contra-ataque. Nossa posse foi maior na partida. Precisamos progredir para aumentar a efetividade na parte final. A partir dos 15 do primeiro tempo, passando a dificuldade inicial, tivemos força para entrar no jogo novamente. Mas não conseguimos traduzir em situações claras de gol. Estamos em busca - completou.