Corinthians x Fluminese - Sul Americana

Contra o Corinthians, Muriel fez a melhor partida com a camisa do Fluminense (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Joel Silva
25/08/2019
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Principal responsável pelo empate sem gols do Fluminense com o Corinthians pela Copa Sul-Americana, o goleiro Muriel caiu de vez nas graças da torcida tricolor. Com defesas importantes, o arqueiro não deixou passar nada e foi o grande destaque da partida, que deu ao time a possibilidade de avançar à semifinal com apenas uma vitória, no Maracanã, na próxima quinta-feira. Modesto, o jogador descarta o rótulo de herói.

- É complicado falar de atuação individual. O mais importante sempre é o coletivo. É claro que eu trabalho para jogar bem e ajudar o time, mas eu prefiro olhar para o conjunto e todos nós fomos muito bem contra o Corinthians.

Contra o Corinthians, Muriel fez a sua sétima partida pelo Fluminense e na última sexta-feira, completou um mês que estreou pelo Tricolor. Na ocasião esteve em campo na vitória por 2 a 1 sobre o Peñarol, no Uruguai, tendo também uma ótima atuação. Já readaptado ao futebol brasileiro, o goleiro garantiu que ainda tem muito mais a evoluir.

- Eu fiquei algum bom tempo na Europa e não é tão simples voltar e se adaptar. Requer um certo tempo. Além disso, eu estava de férias e precisei de um certo tempo para readquirir o ritmo. Sei que ainda posso evoluir bastante.

TABELA
Veja a classificação da Copa Sul-Americana e simule os resultados

Desde que assumiu o gol do Fluminense, Muriel jamais tinha saído de campo sem ser vazado. O Tricolor tem no seu sistema defensivo o maior problema a ser corrigido. O goleiro chegou a receber algumas críticas por alguns gols sofridos, principalmente no de Reinaldo, na derrota para o São Paulo, e no de Edenílson, na vitória sobre o Internacional, ambas as partidas, no Maracanã. Sem se abater, Muriel afirmou que permanece focado, mesmo quando a fase está boa.

- No futebol, você não pode se abalar com as críticas. Elas servem para você amadurecer e evoluir. Do mesmo jeito que não podemos nos abalar nos momentos ruins, não devemos nos empolgar com os elogios. Sigo focado e fazendo o meu trabalho da mesma maneira e com a mesma confiança.

Após folgar nos últimos dois dias, o elenco tricolor se reapresenta neste domingo, no CT Pedro Antônio, dando início efetivamente ao trabalho do técnico Oswaldo de Oliveira e a preparação para o jogo decisivo contra o Corinthians.

Confira o bate-bola com o goleiro sobre os temas:

Você é um goleiro experiente e deve ter muitas referências do Oswaldo de Oliveira. Como foi o primeiro contato do elenco com ele e o que você espera do trabalho que está por vir?
- Não o conhecia pessoalmente e os primeiros contatos foram ótimos. É um cara bem educado e que gosta de conversar, assim como era o Diniz. Foi uma pena ele ter saído e desejo toda a sorte do mundo pra ele. Tenho certeza de que terá muito sucesso na carreira.

Com a mudança de treinador, a tendência é que você tenha que usar menos os pés a partir de agora. Como você avalia essa situação?
- A gente precisa se adaptar com as orientações do técnico, independente de quem esteja no comando. Hoje em dia, o goleiro participa muito do jogo e ter uma boa saída de bola é importante.

Não jogar neste fim de semana representa um tempo maior de preparação para o jogo da volta contra o Corinthians. Em compensação, o Fluminense vai ficar mais tempo e dependendo dos resultados, mais pressionado na zona de rebaixamento. Como você avalia essa situação?
- A gente precisa esquecer o Brasileiro nesse período e pensar apenas na Sul-Americana. Depois do jogo contra o Corinthians, voltaremos a pensar no Brasileiro.

Tendo uma semana inteira de trabalho, um tempo para começar a assimilar as ideias do novo treinador, qual é a sua expectativa para o jogo da volta, na próxima quinta-feira?
- O Corinthians vem provando ao longo dos anos que é um dos times mais difíceis de ser vencido e será mais uma partida extremamente complicada. A gente conta com a força da nossa torcida para lotar o Maracanã e nos apoiar do início ao fim. Juntos, teremos mais forças para conseguir a classificação.