Nenê - Fluminense

Nenê vira artilheiro do Fluminense em 2020 (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Carlos Mello
24/02/2020
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

As últimas duas semanas do Fluminense não foi nada agradável para a torcida. O time tricolor foi eliminado da Taça Guanabara após derrota para o Flamengo por 3 a 2, no Maracanã, e na última terça-feira, saiu – precocemente – da Copa Sul-Americana depois do empate por 0 a 0 diante do Unión La Calera, no Chile. Para alentar os corações dos torcedores tricolores, Nenê virou destaque da equipe e pode ajudar o time a conquistar os principais objetivos do clube. 

O meia, que tem 38 anos, começou a temporada à todo vapor e surpreendeu os torcedores mais céticos do Fluminense. No atual momento, ele conseguiu terminar a Taça Guanabara, com cinco gols em seis partidas disputadas. Com isso, se junta aos artilheiros: João Carlos, do Volta Redonda, Matheus Babi, do Macaé, e Caio Dantas, do Boavista. 

Não foram somente gols, mas sim a importância deles. Nenê balançou as redes na vitória sobre a Cabofriense e Flamengo, marcou contra a Portuguesa e fez mais dois contra o Botafogo. Mesmo com a idade avançada, o ritmo dentro de campo mostra que o meia consegue se destacar. 

+ VEJA E SIMULE OS JOGOS DA COPA DO BRASIL

– Quando você está bem fisicamente, ajuda tecnicamente. Fica mais leve, as coisas fluem. Importante começar o ano jogando. Ano passado, no São Paulo ficou aquela coisa de sai, não sai.. E fiquei sem ritmo. Aí vim para cá no meio da temporada, o treinador que me trouxe foi embora três semanas depois – disse.

Nos outros dois jogos pela primeira fase da Copa Sul-Americana, o meia não conseguiu balançar as redes. Apesar disso, mostrou disposição dentro de campo, porém o setor tem baixa criatividade. O jogador sofre com a falta de opções com quem jogar. Contra um La Calera que se fechou para garantir o empate, o Fluminense mal criou. As melhores chances, no fim, surgiram quando o modo desespero foi ativado.

Para tentar suprir a falta de opções, o meia se mostra bastante voluntarioso na frente. Com boa movimentação e combatividade, Nenê tenta reverter a situação do ataque tricolor, porém a qualidade dificulta o processo das tentativas. Matheus Alessandro já esgotou a paciência da torcida e Caio Paulista ainda não conseguiu encontrar a melhor forma. Evanílson é promissor, mas também vê problemas até a bola chegar em seus pés. Wellington Silva tenta relembrar as boas partidas de sua primeira passagem pelo clube. 

Para tentar reconquistar as boas atuações, Fernando Pacheco e Miguel são clamados pela torcida. O peruano, que foi contratado neste ano, mudou completamente o duelo contra o Flamengo e já deixou boa impressão. Enquanto a joia tricolor expressou boa percepção de passes e virou líder de assistência. 

O Fluminense entra em campo diante do Moto Club, do Maranhão, na próxima quarta-feira pela estreia da Copa do Brasil, para tentar reconquistar a confiança da torcida depois da vexatória eliminação da Copa Sul-Americana. Ao comando de Nenê, o time busca entrar no eixo e encher os olhos da torcida.