John Kennedy - Fluminense

John Kennedy fez dois gols contra o Flamengo no primeiro jogo como titular do Fluminense (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)

Luiza Sá
18/05/2022
17:24
Rio de Janeiro (RJ)

Os jogadores formados em Xerém carregam altas expectativas, mas alguns ganham ainda mais holofotes. É o caso de John Kennedy, um dos atacantes mais promissores do Fluminense nos últimos anos e que completa 20 anos nesta quarta-feira. Mesmo com pouca idade, os altos e baixos marcam a carreira. Se ele conseguiu ser conhecido como carrasco do Flamengo, também vem se notabilizando pelas polêmicas fora dos campos.

A última partida como profissional foi em novembro de 2021, contra o Juventude, pelo Brasileirão. Depois, o jogador sentiu um desconforto muscular na coxa e perdeu as cinco rodadas finais da competição. O retorno foi com o time Sub-20 na Copa São Paulo de Futebol Júnior em janeiro. Foram cinco jogos, cinco gols e uma assistência, mas o Flu acabou eliminado nas oitavas de final para o Santos com a primeira derrota no torneio.

Veja a tabela da Copa Sul-Americana

O nome do jogador voltou aos noticiários não pelas boas atuações, mas porque logo depois da Copinha ganhou alguns dias de férias, já que se reapresentou mais cedo, mas acabou sofrendo uma fratura no quinto metatarso do pé direito ao jogar uma pelada com amigos. Operado em 10 de fevereiro, John Kennedy tinha um prazo de recuperação de dois meses, voltou no fim de março a treinar com o grupo, mas até hoje não estreou no profissional.

A evolução era boa na recuperação, mas o jovem voltou a sentir dores durante um treinamento e precisou retroceder. Desde então, segue sem sequer ser relacionado para as partidas nem pelo técnico Fernando Diniz.

- Já conversei com ele duas vezes. E da minha parte vou fazer o máximo que puder por ele. É um grande talento e mais um daqueles jogadores que, por trás, tem uma história de vida que, no futebol, ao invés da gente acolher a pessoa como um todo, a gente acolhe só o jogador. Essa é uma falha gigantesca que tem no futebol brasileiro -  disse Diniz após a vitória sobre o Athletico-PR.

- A gente já perdeu muitos John Kennedys por aí e continua perdendo. Eu vou fazer de tudo para ajudá-lo para ele poder ter uma vida digna no futebol. Principalmente quando parar, para que ele viva daquilo que construiu no futebol. Essa é a minha intenção com ele - completou o treinador.

RODEADO DE PROBLEMAS

Apesar da grande expectativa, o jogador coleciona problemas. Ano passado, por exemplo, passou três meses afastado por complicações após ter Covid-19 e demorou a retomar o ritmo. Perdeu espaço para os concorrentes no profissional, desceu novamente para o Sub-20 até recuperar o físico e foi bem, o que o credenciou para retornar ao time principal.

Com Marcão, John Kennedy foi bem e tomou logo a posição de reserva imediato de Fred. Desde setembro, foram nove gols na base, duas assistências e outras duas bolas na rede no principal, ambas diante do Flamengo. Contra o rival, contra quem já marcou 13 vezes em 14 confrontos.

Mas o nome de John Kennedy circula mais nos corredores pelas polêmicas do que pelo futebol atualmente. Em 2021, houve atraso em um treino e uma live em abril durante a madrugada com Higor (que era do sub-23 na época), além de uma uma dançarina e um rapaz fumando um "cigarro suspeito", fatos que não pegaram bem. Neste ano, a própria forma como o jogador se lesionou, em uma pelada com os amigos, foi motivo de frustração.

Funcionários também dizem que o jovem chegou a faltar aos treinamentos e a fisioterapia. O último problema no currículo foi quando um carro que pertence ao atleta tricolor foi apreendido pela Polícia Militar em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, com 10 gramas de maconha e o motorista sem carteira de habilitação. Ele não estava no veículo no momento da apreensão, mas foi autuado depois (entenda aqui).

John Kennedy - Fluminense
John Kennedy em treino no CT do Fluminense (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)

SUCESSOR DE FRED?

As boas atuações em 2021 reforçaram que John Kennedy seria o substituto natural de Fred. Com as saídas de Abel Hernández e Raúl Bobadilla, o Fluminense foi ao mercado buscar Germán Cano para ter um nome experiente, mas via o garoto de Xerém com condições de brigar pela vaga. Entretanto, a lesão fez com que o time, inclusive, sofresse com a falta de nomes na posição.

O camisa 9 já afirmou que vê o jogador como o próximo nome da posição, dependendo de ele "colocar a cabeça no lugar". Vale lembrar que a janela de transferências abre novamente em 18 de julho. Com a aposentadoria de Fred, é possível que o clube busque uma nova alternativa.

- Sei que parando vou estar dando brecha para os moleques que estão atropelando. Caso do John Kennedy, que colocando a cabeça no lugar já mostrou que tem potencial. O Cano está voando. O Willian joga de falso 9. Até abrir a folha para uma futura contratação se for o caso. A gente acha que não porque essa molecada de Xerém dá conta do recado e já temos um grupo forte. Vamos curtir esses últimos dias. Vocês estão vendo também, parece que estou correndo na ladeira. Os moleques estão na descida e eu fazendo uma força danada - disse Fred quando confirmou a aposentadoria em julho.

John Kennedy segue fora, mas o Fluminense volta a campo nesta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília) para enfrentar o Unión Santa Fe (ARG) pela penúltima rodada da Copa Sul-Americana na Argentina.