Pedro Abad

Balancete do Fluminense apontou lucro de R$ 4,8 milhões no primeiro semestre (Foto: Nelson Perez/Fluminense F.C.)

Luiza Sá e Marcello Neves
27/08/2018
16:20
Rio de Janeiro (RJ) 

A situação financeira do Fluminense está longe de ser das melhores, mas o clube segue o seu caminho para atingir uma austeridade financeira. Mantendo o padrão anual de demonstração na área de transparência, o Tricolor divulgou o balancete do primeiro semestre de 2018 através do seu site oficial e apontou um lucro de R$ 4,6 milhões.

Entre as receitas operacionais, o Fluminense soma o seu maior lucro com os direitos de transmissão, crescendo R$ 65 milhões, e no repasse dos direitos federativos de atletas, onde atingiu R$ 37 milhões. Entre a venda de jogadores, destaque para o dinheiro recebido por Wendel, cedido ao Sporting (POR). 

Balancete Fluminense
Balanço do Fluminense (Foto: Divulgação)

Um dos maiores problemas do clube da temporada, o custo para jogar no Maracanã foi lembrado em "despesas com jogos e competições", somando um prejuízo de R$ 8,3 milhões. Por outro lado, o valor com "receita de bilheteria" soma R$ 4,7 milhões no primeiro semestre. Entre patrocínios, o Tricolor somou R$ 9 milhões, segundo o documento. 

Apesar dos números previamente positivos, o Fluminense vive um grave problemas financeira e convive com salários atrasados. Os clube deve os vencimentos de julho relacionados a CLT, além do mês de junho do direito de imagem dos atletas. Possíveis vendas de Pedro e Sornoza foram analisados para aliviar a situação. 

Balancete Fluminense
Balanço do Fluminense (Foto: Divulgação)