Treino Fluminense

Odair Hellmann durante treinamento do Fluminense no CT Carlos Castilho (Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE FC)

Luiza Sá
14/08/2020
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

Com a pandemia do novo coronavírus, o futebol mundial ganhou um novo recurso visando reduzir os impactos físicos da longa paralisação: as cinco substituições durante as partidas. No Fluminense de Odair Hellmann, isso se traduziu em 16 atletas diferentes utilizados nos 10 jogos disputadas desde o retorno das atividades, sendo oito oficiais e dois amistosos. Fernando Pacheco, Michel Araújo e Caio Paulista lideram entre as escolhas do treinador, entrando sete vezes cada.

Nunca Odair fez menos de quatro alterações em uma partida desde a retomada. Em sete vezes ele mexeu em cinco jogadores e em três fez apenas quatro mudanças, incluindo na última partida, contra o Palmeiras, no empate por 1 a 1 no Maracanã. Os jogadores que mais vezes iniciaram no time titular e foram sacados são o volante Yago Felipe e os atacantes Marcos Paulo e Evanilson, com oito vezes cada um. Nenê, saindo em sete oportunidades, e Fred, em quatro, completam o top-5.

O caso de Yago é ainda mais curioso, já que ele atuou em nove das 10 partidas até o momento e ficou os 90 minutos em campo apenas em uma delas. O jogador é um dos homens de confiança de Odair, mas sempre acaba sendo sacrificado quando o treinador precisa de uma equipe mais ofensiva. Em três oportunidades ele foi substituído por um meia, outras três por um atacante e duas por outro volante (Yuri).

Dentre aqueles que receberam oportunidades, destaque para seis atletas da base que estrearam como profissionais no ano passado e neste ano. Miguel foi o quarto atleta mais utilizado, com cinco chances. Evanilson e Marcos Paulo saíram duas vezes do banco cada. André, Luiz Henrique e Calegari, que até já foi titular, entraram uma vez.

- Temos uma base. Mais jogadores estão repetindo mais jogos. Na sequência do campeonato tem Digão fora, Matheus Ferraz, Hudson, Gilberto. Saíram três da linha defensiva. Isso muda a estrutura não só na linha de quatro, mas no meio campo. Mas ganhamos outras opções. O Michel está se adaptando bem à função do meio campo. Hoje demos chance ao Luiz Henrique. Por isso falo do grupo. Temos uma base, sustentadas dentro das variações. Temos boa intensidade, capacidade de construção boa, trocas de passes bons, posse. Tínhamos caído em número de finalizações, mas estamos aumentando isso - avaliou Odair após a partida.

EFICIÊNCIA DAS MUDANÇAS

Em termos de gols e assistências, as alterações promovidas por Odair Hellmann tem sido pouco efetivas. Nos três primeiros jogos após a paralisação, o Tricolor não balançou a rede. Depois, contra o Flamengo, na final da Taça Rio, Michel Araújo entrou no lugar de Gilberto, autor do gol tricolor, e desperdiçou uma das cobranças de pênalti, mas Fernando Pacheco, por outro lado, converteu a sua.

No primeiro amistoso contra o Botafogo, Michel Araújo marcou um minuto depois de entrar em campo e foi a substituição mais eficiente de Odair nesse período acompanhada de Marcos Paulo contra o Palmeiras nesta quarta-feira. O jovem havia acabado de entrar na vaga de Fred quando deu a assistência para Evanilson igualar o placar. Nas outras partidas não mencionadas, nenhum dos reservas participou dos gols marcados.

Neste domingo, às 18h, contra o Internacional, o Fluminense terá a missão de melhorar o rendimento para, enfim, conquistar três pontos pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro. A partida será no Maracanã, pela 3ª rodada. 

VEJA OS NÚMEROS COMPLETOS:

QUEM MAIS ENTROU:

Fernando Pacheco - 7
Michel Araújo - 7
Caio Paulista - 7
Miguel - 5
Ganso - 4
Yuri - 3
Wellington Silva - 3
Evanilson - 2
Marcos Paulo - 2
Orinho - 1
Dodi - 1
Felippe Cardoso - 1
André - 1
Calegari - 1
Fred - 1
Luiz Henrique - 1

QUEM MAIS SAIU:

Yago Felipe - 8
Marcos Paulo - 8
Evanilson - 8
Nenê - 7
Fred - 4
Dodi - 3
WS - 2
Gilberto - 2
Ganso - 1
Hudson - 1
Calegari - 1
Michel Araújo - 1
Yuri - 1