Nenê - disputa de bola

Fluminense terá uma semana para trabalhar com mais tranquilidade, e se preparar para o clássico de domingo contra o Botafogo (LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)

Felipe Melo
30/09/2020
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Após golear o Coritiba por 4 a 0 no Nilton Santos, o Fluminense terá uma semana mais tranquila de preparação para o clássico vovô contra o Botafogo no próximo domingo, às 11h. Com a vitória, o Tricolor subiu para a sétima posição com 17 pontos e encostou na zona de classificação para a Copa Libertadores 2021.

Diante de um adversário frágil e de vários desfalques por lesões (Digão, Frazan e Yuri) e jogadores que testaram positivo para Covid-19 (Luccas Claro, André, Martinelli, Calegari, Luiz Henrique, Luan, Miguel, Nascimento e Marcos Paulo), o time fez uma boa partida e alguns atletas saíram fortalecidos. O lateral Danilo Barcelos deu mais segurança na esquerda, Felippe Cardoso e Ganso voltaram a marcar e Muriel fez boas defesas.

Apesar da boa atuação, o técnico Odair Hellmann terá tempo para corrigir alguns erros defensivos que a equipe voltou a apresentar contra o Coxa. No primeiro tempo, o lado direito da defesa tricolor deu muito espaço ao adversário e por pouco Robson não empatou. Novamente, os cruzamentos rasteiros levaram perigo a meta de Muriel, por falta de cobertura na lateral e falha dos zagueiros, que deixaram o atacante sozinho na cara do gol.

Além disso, o comandante necessita ter atenção às oscilações da equipe durante a partida. O Fluminense em determinados momentos é intenso, com muita criação, e em outros torna-se apático e envolvido pelo adversário com facilidade. Na etapa final, após duas bolas na trave de Robson, o time deslanchou e construiu a goleada.

- Todo time passa por oscilações dentro do jogo. Você tem que visualizar o adversário também quando tomou o gol. Nós dominamos o jogo até 25 do primeiro tempo, poderíamos até ter ampliado o placar. E o adversário naturalmente cresce no jogo, começa a encontrar formas de sair da marcação e da força que a gente estava imprimindo na partida. É importante que nesses momentos a equipe esteja equilibrada e consiga dar uma resposta - disse Odair.

No entanto, a vitória foi importante não só pelo salto na tabela como para ganhar confiança. Dodi, Michel Araújo e Nenê novamente mostraram que são peças essenciais no esquema de Odair e que quando estão em um bom dia fazem o time ter mais qualidade nas transições ofensivas e na construção de jogadas de perigo.

O camisa 22 é o motor do meio-campo, sendo responsável por levar a bola de área a área e demonstrou uma impressionante condição física na arrancada, que resultou no pênalti do quarto gol do Flu. Em compensação, o 77 é a estrela da equipe, sendo diferenciado ao longo dos seus 39 anos, mas o clube necessita de peça de reposição. Durante os jogos, Nenê mostra entrega e muitas vezes corre como um garoto, que acabara de subir aos profissionais.

Por fim, resta aguardar e ver se a equipe irá colher os frutos dessa folga no calendário e se Odair conseguirá extrair o melhor do time no clássico de domingo. Desde o retorno da pandemia, o técnico reclamou muito do calendário apertado e agora poderá ter uma semana quase inteira para trabalhar.