Alexandre Araújo
08/12/2018
23:34
Rio de Janeiro (RJ)

A primeira eleição da história do Flamengo realizada em um sábado decretou que Rodolfo Landim, representante da Chapa Roxa, que é oposição à atual diretoria, assumirá o posto de presidente do clube no triênio 2019-2021, com 1879 votos, substituindo Eduardo Bandeira de Mello, que permaneceu no cargo por seis anos.

No total de 3048 votos dos associados adimplentes do rubro-negro elegeram o candidato da Chapa Roxa, que derrotou Ricardo Lomba, da Chapa Rosa, segundo colocado, com 1097 votos, Marcelo Vargas, da Chapa Branca, com 41 votos e José Carlos Peruano, da Chapa Amarela, com 22 votos.

Landim chegou a ser vice-presidente de planejamento no primeiro mandato de Eduardo Bandeira de Mello e assumirá o clube em janeiro de 2019. Entre as propostas do candidato, em entrevista realizada ao LANCE!, está um aperfeiçoamento da gestão do clube, mudança na estrutura do departamento de futebol e vontade de gerir o Maracanã. Quer implantar ainda iniciativas para aumentar a receita dos esportes olímpicos.

- Nós temos um grupo de pessoas que tem como principal objetivo fazer o Flamengo voltar a ser campeão. É isso que achamos que somos capazes de fazer e é isso que propomos fazer aos sócios do clube, entre outras coisas. Essa é a mais importante. Existem outras que acreditamos que podemos aperfeiçoar no processo de gestão do clube, em diversas áreas do clube, mais notadamente no futebol, no remo, e nos esportes olímpicos. Achamos que o clube precisa voltar a vencer - afirmou.

O clima na Gávea foi de tranquilidade durante o dia. Com a proximidade do fim do horário de votação e as pesquisas de boca de urna apontando vitória de Landim, alguns membros da Chapa Roxa puxaram alguns cantos como "está chegando a hora" e "adeus cheirinho", mas não houve respostas e o pleito terminou em paz.