Alexandre Araújo
08/12/2018
21:06
Rio de Janeiro (RJ)

O dia de eleição na Gávea comprovou o quanto Eduardo Bandeira de Mello divide opiniões entre os sócios do Flamengo. Presente até o fim da noite deste sábado no Ginásio Hélio Maurício (quando apoiava Ricardo Lomba, seu vice de futebol e atual candidato da Chapa Rosa), mandatário recebeu elogios de alguns sócios, mas também foi alvo de hostilidades.

Bandeira foi alvo da provocação de um dos sócios em torno das 9h45. Ao passar por ele, o torcedor rubro-negro gritou:

- Acabou o cheirinho, f.d.p.

O dirigente ignorou o episódio e foi falar com outro sócio. Enquanto o pleito transcorria, outros torcedores o abordaram para elogiar sua gestão.

À medida que as pesquisas de boca de urna indicavam a vitória de Rodolfo Landim, a euforia de apoiadores da Chapa Roxa rendeu nova farpa a Bandeira. Entre os apoiadores de Landim que celebravam entoando o hino do Flamengo, um grupo gritou:

- Cheirinho nunca mais!   

Por volta das 19h, Bandeira foi em direção a Rodolfo Landim e o cumprimentou o candidato da Chapa Roxa, indicado como líder de pesquisas naquele momento. Logo depois, o mandatário deixou o ginásio ao lado de seus filhos quando ouviu um pedido de uma torcedora: para que seguisse na presidência do clube. 

Após sair da Gávea, no entanto, Eduardo Bandeira de Mello foi pivô de novo incidente. Um torcedor do Flamengo disse a ele "tchau, querida". Um dos filhos de Bandeira quis tirar satisfação, mas foi contido por membros da Chapa Rosa.

A primeira eleição da história do Flamengo realizada em um sábado decretou que Rodolfo Landim, representante da Chapa Roxa, que é oposição à atual diretoria, assumirá o posto de presidente do clube no triênio 2019-2021, com 1879 votos, substituindo Eduardo Bandeira de Mello, que permaneceu no cargo por seis anos.