Rodinei

Rodinei vê cobrança da torcida do Flamengo como natural (Foto: Matheus Dantas)

Alexandre Araújo e Matheus Dantas
30/01/2019
00:18
Rio de Janeiro (RJ)

Das arquibancadas do Maracanã, vieram vaias a Rodinei antes do jogo e durante a partida, apesar do lateral-direito ter tido uma atuação regular, inclusive iniciando a jogada de um dos gols da vitória por 3 a 1 sobre o Boavista. Após o confronto, o camisa 2, que completou 27 anos na terça, comentou a situação e garantiu: não se sente perseguido pelos rubro-negros.

- Não (vejo como perseguição). Estou entrando no meu quarto ano, já tive momentos bons e momentos ruins. Sei que posso melhorar muito mais. A cobrança da torcida é normal. Aqui é Flamengo. Eles vão vaiar quando você está mal no jogo, erra um passe, mas sabemos também que, quando as coisas começam a funcionar, eles nos apoiarão - afirmou Rodinei, antes de seguir:

- Não podemos pensar em vaias ou aplausos quando entramos em campo. Temos que entrar e honrar a camisa do Flamengo - avaliou o lateral-direito.

A vitória sobre o Boavista garantiu a classificação do Flamengo para a semifinal da Taça Guanabara. No domingo, o time de Abel Braga entra em campo diante da Cabofriense, de novo no Maraca, para assegurar o primeiro lugar da chave.

Na quarta-feira, apesar das vaias, Rodinei participou do jogada do gol de Henrique Dourado, que abriu o caminho para a vitória por 3 a 1 no Maracanã.

O camisa 2 projetou uma temporada vitoriosa pelo Flamengo em 2019.

- Sabemos da cobrança que é jogar no Flamengo. Se estivesse em outro time, a cobrança poderia ser menor. Estamos devendo títulos ao torcedor, podemos dar mais e tenho certeza que será um ano de grande conquistas - completou.

'Quando entramos em campo não temos que pensar em aniversário, em fazer festa. Simplesmente temos que entrar em campo e vencer. Conseguimos uma vitória muito importante', afirmou.

Nestas rodadas iniciais do Carioca, o técnico Abel Braga tem revezado os times titulares do Flamengo: Rodinei foi titular em duas rodadas, com Pará atuando desde o início nas demais.

Na avaliação de Rodinei, o técnico está avaliando as opções e a "briga" pela titularidade, não só na lateral-direita, é positiva para o Flamengo.

- Estou entrando no meu quarto ano e sei que sempre haverá disputa. Tem horas que jogarei, tem horas que o Pará jogará. O importante é o respeito. Abel está testando para encontrar o melhor time. Chegaram jogadores de qualidade para nos ajudar. Todos querem espaço e precisamos entrar em campo para convencer o Abel - afirmou o camisa 2.