Gerson - Flamengo

Gerson relatou ser sofrido ofensas raciais de Ramírez, do Bahia, no Maracanã (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Matheus Dantas
03/02/2021
13:53
Rio de Janeiro (RJ)

Convocado a prestar depoimentos nesta quarta em inquérito do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, que apura a denúncia de suporta injúria racial sofrida por Gerson de Ramírez, do Bahia, o meio-campista do Flamengo não compareceu ao STJD, assim como Bruno Henrique e Natan, companheiros de time que seriam ouvidos como testemunha. A decisão foi do clube, alegando que os três estão concentrados para o clássico com o Vasco, nesta quinta-feira.

A informação foi inicialmente publicada pelo "Globoesporte" e confirmada pelo LANCE!. O departamento jurídico que os atletas não precisariam ir ao Tribunal nesta data, além de pedir o adiamento dos respectivos depoimentos ao STJD.

> Confira a classificação e simule as próximas rodadas do Brasileirão!

Flamengo e Bahia se enfrentaram, no Maracanã, em 20 de dezembro. Durante a segunda etapa, Gerson relata que Ramírez teria tido "cala boca, negro" durante uma discussão em campo. O atleta do Flamengo prestou depoimento, assim como outros envolvidos, e o caso está sendo investigado pela Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância, no Centro do Rio de Janeiro.

A abertura do inquérito foi solicitado pela Procuradoria do STJD no dia 14 de janeiro. O auditor Maurício Neves Fonseca é o responsável por processar o inquérito, e terá o prazo de 15 dias para a conclusão, prorrogável por mais 15.

O árbitro Flavio Rodrigues de Souza, os assistentes Marcelo Van Gasse e Danilo Simon Manis e o delegado Marcelo Nascimento Vianna foram ao tribunal no último dia 28. Mano Menezes também seria ouvido nesta data, mas o auditor aceitou o pedido do técnico - que hoje esta sem clube, mas dirigia o Bahia naquela partida -, que será ouvido nesta quarta, assim como Juan Ramírez.