Pep Guardiola e Domènec Torrent nos tempos de Bayern de Munique

Pep Guardiola e Domènec Torrent - na época seu assistente - nos tempos de Bayern de Munique (Foto: Divulgação)

Matheus Dantas
25/07/2020
12:45
Rio de Janeiro (RJ)

Com reunião marcada com a direção do Flamengo para este sábado, Domènec Torrent foi elogiado por Rafinha, lateral-direito e líder do vestiário rubro-negro, e Pep Guardiola, técnico de quem foi assistente por 10 temporadas. Os três trabalharam juntos no Bayern de Munique entre 2013 e 2016. Foi no clube alemão que uma observação de Domènec mudou os rumos do treinador e do jogador brasileiro, como é relatado em "Guardiola Confidencial", livro de Martí Perarnau que acompanhou o primeiro ano de Pep no comando dos Bávaros.

Em agosto de 2013, Pep Guardiola encarou sua primeira decisão pelo Bayern de Munique. Na Supercopa da UEFA, o rival era o Chelsea (ING), campeão da Liga Europa, que tinha como técnico um velho conhecido: José Mourinho. Pep estava há pouco tempo no comando do time, ainda adaptando-se ao clube e conhecendo o elenco. Aos 8 minutos, Fernando Torres marcou para os Blues.

Aos 30 minutos, então, entra em ação Domènec Torrent, sugerindo que o técnico coloque Phillip Lahm como volante. O Chelsea estava castigando o Bayern ao subir em velocidade nas costas de Toni Kroos. Guardiola orientou a troca de posição que mudou a história do time sob seu comando, conforme o próprio Pep Guardiola admitiria ao jornalista Martí Perarnau meses depois.

- As palavras de Dome foram chaves. Se ganharmos alguma coisa nesta temporada, será em razão daquele dia. Ouça bem o que digo: se ganharmos alguma coisa, será por causa do Lahm. Porque posicioná-lo como volante foi o que reordenou todas as peças - relata Pep Guardiola, em novembro de 2013, antes do Bayern conquistar a Bundesliga e a Copa da Alemanha de 2013/14.

A temporada de 2013/14 foi a primeira de Pep Guardiola no comando do Bayern de Munique. Foi também a temporada que Rafinha mais atuou nos 14 anos que ficou na Europa, entre Schalke 04, Genoa e, claro, pelos Bávaros. Foram 46 partidas do lateral-direito, hoje do Flamengo, que acabou sendo beneficiado pela utilização do capitão e lateral Phillip Lahm no meio de campo.