Jorge Jesus Comemoração - Flamengo Campeão Carioca 2020

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Fabio Chiorino e Rodrigo Borges 
16/07/2020
07:20
São Paulo (SP)

O pior dos últimos três confrontos entre Flamengo e Fluminense. A festa já era estranha: Maracanã vazio, sons simulados de torcida, faixas e mosaicos espalhados por arquibancadas desocupadas. O retrato fiel da reta final do Campeonato Carioca, de retorno precoce e infundado.


Um chute fraco (e com desvio) de Vitinho aos 49 minutos do segundo tempo, e o Rubro-Negro conquistou seu terceiro título numa temporada em que a bola mal rolou. O Tricolor, por sua vez, não teve a mesma intensidade dos duelos anteriores, em que atenuou a limitação técnica, e, mesmo precisando vencer para levar a taça, mal investiu contra o gol adversário.

O apito final só reforçou os holofotes para o grande personagem da decisão: Jorge Jesus. Sem entrevistas além de uma declaração protocolar à Fla TV, o técnico português não deu novos inícios sobre o seu futuro e manteve a torcida em compasso de espera - e de angústia.

O treinador que, em apenas um ano, tem mais títulos do que derrotas no comando do clube. Ainda que retorne ao Benfica, Jesus já é um dos maiores na história do Flamengo. Se foi uma despedida, faltou a plateia que o alçou à condição de ídolo.

O LANCE! Espresso é uma newsletter gratuita que chega de manhã ao seu e-mail, de segunda a sexta. Leitura rápida, que vai colocar você por dentro das principais notícias do esporte. A marca registrada do jornalismo do LANCE!, com análises de Fabio Chiorino e Rodrigo Borges. Clique aqui e inscreva-se.