Mauricio Isla e Marcos Braz - Flamengo

Ao lado de dirigentes, Mauricio Isla foi apresentado no Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

LANCE!
24/08/2020
14:07
Rio de Janeiro (RJ)

Mauricio Isla já deu o pontapé inicial para estar na ponta dos cascos e estrear pelo Flamengo. Nesta segunda, reapresentação do elenco após empate com o Botafogo, o lateral-direito realizou a primeira atividade no Ninho do Urubu. E, horas depois, foi apresentado oficialmente e respondeu sobre o novo desafio.

Isla não escondeu que o peso da responsabilidade de substituir Rafinha, ídolo recente e um dos líderes do plantel rubro-negro, é considerável. Mas expôs empolgação para entrar em campo e dar conta do recado.

- É um desafio lindo. Rafinha deixou algo lindo aqui, não só como jogador, mas como pessoa, como ídolo. [...] É um desafio substituir um jogador que ganhou tudo ano passado, que foi um líder. Todos dizem aqui que ele era um líder. Mas também é um desafio para mim conseguir tudo o que Rafinha conseguiu. É um desafio - falou o chileno, completando a respeito da prontidão para jogar:

- Estou há quase quatro meses treinando sozinho na Espanha. Estou aqui para treinar essa semana e me colocar à disposição do treinador para domingo (confronto entre Santos e Flamengo, fora de casa). Cada país tem um estilo de jogo, na América do Sul se joga diferente, mas aqui no Brasil há jogadores fortes e jovens que fazem a diferença.

Treino Mauricio Isla - Flamengo
Isla já realizou atividade no CT (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

O lateral da seleção chilena também - desde 2007 - falou sobre a expectativa de trabalhar com Domènec Torrent e a importância de repetir os êxitos da temporada passada - destacados por ele como um dos fatores para aceitar a proposta do Fla em detrimento a europeias, como da Espanha e Grécia.

- Quando um clube ganhou tantas coisas como o Flamengo ano passado, os torcedores querem ganhar tudo de novo. É difícil porque tem um treinador novo com ideias diferentes. Mas o importante é ter um grupo e tentar repetir o que foi feito no ano passado - disse, emendando:

- Sempre na minha mente tive voltar para a América do Sul. Quando tive a proposta do Flamengo, eu não pensei... Agradecer ao presidente, Marcos (Braz, vice-presidente de futebol), Bruno (Spindel, diretor executivo de futebol). E pela história que tem o Flamengo, eu não pensei.


Sem atuar desde março, quando se despediu da 13ª temporada no futebol europeu, mais precisamente com a camisa do Fenerbahce, Isla ainda revelou que conversou com o compatriota Arturo Vidal, hoje no Barcelona.

- Não conversei com Rafinha, conversei com Vidal. Não tive que checar o que era Flamengo. A única coisa que falei com Vidal foi sobre o grupo, e a resposta de Rafinha foi a que eu esperava, de que é um grupo muito unido. Por isso, venceu tudo que venceu.

Além do Fenerbahce, Isla já passou por Udinese, Juventus, Cagliari, Olympique de Marseille e QPR. Agora, como destacado pelo novo camisa 44 do Flamengo, jogará em seu continente pela primeira vez como jogador profissional.