Hugo - Flamengo

O goleiro Hugo Souza é um dos promissores talentos da base do Rubro-Negro (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Matheus Dantas
29/09/2020
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

O surto de Covid-19 no elenco profissional, com 18 atletas infectados - além de técnico e diretores - levou o Flamengo a encarar o Palmeiras com seis garotos formados no Ninho do Urubu entre os titulares, e outros três entrando após o intervalo. A apresentação segura de Natan, Lincoln, Ramon & Cia levaram os holofotes de volta às divisões de base do Rubro-Negro. Com o investimento feito até junho de 2020 (R$ 52 milhões e 282 mil), o clube já aumentou os custos na formação dos atletas da base pela sexta temporada consecutiva.

Com o bom trabalho desenvolvido no Ninho do Urubu, a base continua sendo capaz de ser contribuir com os resultados time profissional - como a Nação se acostumou a ver ao longo do tempo -, seja pelo valor obtido das transferências para os grandes clubes europeus, seja pelo desempenho na equipe principal.

- Temos que estar sempre prontos para quando a oportunidade aparecer. Os meus companheiros também fizeram um grande jogo, o que mostra a força que a base do Flamengo tem. Temos grandes como referências, mas o Flamengo tem uma força de fazer craque em casa. Mostramos isso - afirmou o goleiro Hugo Souza, o grande destaque no 1 a 1 no Allianz Parque, à FlaTV.

Com o surto da Covid-19 que atingiu o elenco profissional do Flamengo, a base voltará a ser importante no duelo com o Independiente Del Valle, do Equador, nesta quarta-feira. Com a liderança do Grupo A da Copa Libertadores em jogo - os times somam nove pontos -, a bola rola no Maracanã a partir das 21h30.

De acordo com os balanços financeiros apresentados pelo clube da Gávea, os custos com a formação de atletas são reconhecidos pelos gastos diretamente relacionados com alojamento, alimentação, transporte, educação, vestuário, assistência médica, comissão técnica, entre outros, das categorias de base.

Custo com formação de atletas do Flamengo:

2013 - R$ 8,195 milhões*
2014 - R$ 7,406 milhões*
2015 - R$ 10,526 milhões*
2016 - R$ 16,652 milhões*
2017 - R$ 23,832 milhões**
2018 - R$ 35,201 milhões**
2019 - R$ 44,123 milhões**
2020 (até 30 de junho) - R$ 52,282 milhões***

*Valores retirados dos demonstrativos financeiros referentes a cada ano
** Valores retirados da demonstração financeira de 2019
***Valores retirados da demonstração financeira do primeiro semestre de 2020