Rodrigo Caio

O zagueiro Rodrigo Caio durante atividade no Ninho do Urubu, nesta quarta-feira (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Matheus Dantas
02/09/2021
09:00
Rio de Janeiro (RJ)

A recuperação de Rodrigo Caio é um dos objetivos do Flamengo no período sem jogos por conta das Eliminatórias Sul-Americanas. O sistema defensivo, questionado, apresenta melhores números com o camisa 3. Além disso, o trabalho de reequilíbrio biomecânico e muscular pelo qual está passando visa dar um ponto final ao drama particular vivido pelo atleta desde 2020 no clube.

A série de problemas físicos e lesões tiraram Rodrigo Caio de mais da metade dos jogos do Flamengo desde o início da última temporada. Se a equipe da Gávea entrou em campo 106 vezes com o grupo principal, o zagueiro foi titular em 48. Assim, só esteve em campo em 45,2% das partidas disputadas pelo Fla.

Na temporada de 2020, Rodrigo Caio fez 32 jogos pelo Flamengo - todos como titular. O zagueiro foi relacionado para outras três partidas, nas quais ficou no banco e não foi utilizado pelos técnicos. Portanto, o camisa 3 participou de apenas 48,48%. dos 66 compromissos que o clube atuou com o time principal.

As ausências foram por conta de: corte no joelho direito, em janeiro de 2020 (três jogos); lesão na coxa esquerda, em fevereiro (5); Covid-19, em setembro (2); presença na Seleção Brasileira, em outubro (3); sequência de desgaste muscular, edema ósseo no joelho direito e lesão na panturrilha direita, entre outubro e dezembro (13); e lesão na coxa esquerda (5), em janeiro de 2021.

Ciente do risco, Rodrigo Caio atuou "no sacrifício" na reta final de 2020 e teve a lesão agravada, segundo o próprio departamento médico, mas recuperou-se a tempo de estrear na temporada de 2021 com o time principal. O Flamengo, nos primeiros sete jogos do Campeonato Carioca, atuou com a equipe alternativa.

Os problemas físicos do zagueiro, contudo, não cessaram. Na atual temporada, Rodrigo Caio atuou em 16 dos 40 jogos disputados pelo grupo principal do Fla.

Neste período, o DM já informou: fibrose na coxa direita, em abril; dores na perna direita, em julho; e um edema na panturrilha esquerda, em julho. O atleta também não foi relacionado em duas partidas por precaução, desgaste e sequência de jogos. Mais recentemente, em 31 de julho, o clube informou que o camisa 3 realizaria "um trabalho de reequilíbrio biomecânico e muscular".