Maurício Barbieri

Barbieri tenta recolocar o time nos trilhos após a Copa do Mundo (Gilvan de Souza/Flamengo)

LANCE!
03/09/2018
08:10
Rio de Janeiro (RJ)

O Flamengo passou do "segue o líder" no Campeonato Brasileiro e classificado às oitavas na Libertadores - o que não acontecia há três edições - a um time 'mediano' no torneio nacional e eliminado na competição sul-americana. Após a paralisação para a Copa do Mundo, a equipe rubro-negra teve uma queda de rendimento, fazendo com que vaias e protestos vindos das arquibancadas já começassem.

O elenco da Gávea chegou ao Mundial com quatro pontos de vantagem na liderança do Brasileiro e tendo um rendimento de 75%. Nas últimas dez rodadas, porém, apenas 46,7% dos pontos em disputa foram conquistados. Considerando-se apenas o período depois da Copa do Mundo, o Flamengo estaria apenas na luta por uma vaga na Libertadores do próximo ano.

E o Maracanã, antes um trunfo, foi o palco de três importantes derrotas: São Paulo, na primeira rodada após a Copa e que fez o Tricolor paulista encostar na liderança, Cruzeiro, que fez a missão de passar para as quartas da Libertadores ficar difícil, e Ceará, que luta para sair da zona de rebaixamento e diante de arquibancadas lotadas.

O discurso após o revés diante do Ceará foi de levantar a cabeça, trabalhar e acertar a casa para o time voltar aos trilhos, mas os números apontam para um momento de tensão na Gávea. O treinador, por sua vez, afirmou não temer demissão.

A Copa do Brasil "salvou" o agosto rubro-negro, mas pode ser um novo problema. Com Paquetá e Cuéllar convocados para as seleções do Brasil e Colômbia, respectivamente, o treinador pode ter de reinventar o time para o primeiro duelo com o Corinthians, pela semifinal.