Cuéllar

Cuéllar, no desembarque em Montevidéu (Foto: Divulgação/Flamengo)

Marcello Neves
09/05/2019
11:20
Rio de Janeiro (RJ) 

Mistura de alívio com felicidade. Esta foi a sensação que o Flamengo trouxe de volta para o Rio de Janeiro, quando desembarcou, nesta sexta-feira, no Aeroporto do Galeão. A vaga estava no bolso após empatar com o Penãrol em Montevidéu e se classificar às oitavas de final da Copa Libertadores. Se antes o clima era tenso, o sorriso no rosto dos atletas deu o tom do retorno ao Brasil. 

- Sentimento de alegria, porque fizemos grande esforço pra conseguir a classificação. Não era fácil, por conta do time copeiro que é o Peñarol. Mas soubemos criar chances. Infelizmente, não convertemos em gols, mas nos comportamos muito bem na parte defensiva - declarou Cuéllar.

- Sabíamos que dependia de nós, como sempre dependeu. Tivemos oportunidades de garantir a classificação antes. Infelizmente, não conseguimos resultado positivo em alguns jogos e fomos pro último com risco grande. Mas confiávamos que dependia só de nós - completou Rodrigo Caio. 


Um dos mais festejados após a classificação foi César. Responsável por substituir Diego Alves, que foi desfalque devido a uma lombalgia, o goleiro novamente assumiu a responsabilidade e encerrou mais uma partida sem sofrer gols. Ele falou sobre as oportunidades que tem recebido em momentos decisivos. 

- Fico feliz em poder estar preparado para esses momentos decisivos. A gente não escolhe quando vai jogar. Lógico que quero sempre poder estar jogando. Então, ter essa oportunidade e ainda ajudar minha equipe são o principal - declarou.