Flamengo x Grêmio - Everton Ribeiro

Contra o Grêmio, Everton deixou o campo com 17 minutos do segundo tempo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Lazlo Dalfovo
20/08/2020
05:55
Rio de Janeiro (RJ)

Em quatro jogos de Domènec Torrent sob o comando do Flamengo, a inconsistência coletiva tem marcado a primeira impressão do time comandado pelo catalão, que busca alternativas ao longo dos jogos para que os resultados sejam positivos. As alternativas não têm dado resultado e, até aqui, Everton Ribeiro é o principal "sacrificado" neste início trajetória e readaptação. 


Explica-se: Everton Ribeiro é quem mais vezes foi substituído por Torrent. Ao todo, foram três substituições do camisa 7, que, titular em todos os quatro jogos do Brasileirão, só não deixou o gramado em uma oportunidade - na única vitória na competição, por 1 a 0, contra o Coritiba.

Na entrevista coletiva após o jogo da última noite, um suado empate em 1 a 1 com o Grêmio, Domènec Torrent foi questionado acerca da saída de Everton Ribeiro, destaque e criador da melhor chance do Rubro-Negro na etapa inicial.

A justificativa do técnico está alinhada ao quesito tático. Para o treinador, que tem escalado quatro atacantes para superar cenários adversos, com dois extremos e duas referências na área, Ribeiro tem saído em desvantagem pois, com ele e Arrascaeta, não há amplitude para a execução de sua variação tática.

- Ele (Everton Ribeiro) estava bem. Mas eu precisava abrir o campo. Para abrir o campo prefiro jogar com jogadores rápidos. Everton joga bem entre linhas, mas quando se quer jogar com 4-2-4, as qualidades de Vitinho e Bruno são outras. Estou muito feliz com Everton, mas você precisa fazer uma mudança tática e mudar rapidamente e decidir rapidamente que jogadores são melhores para nós. Estava feliz com Everton e Arrasca, mas quando você quer fazer uma variante tática, estamos buscando jogadores desta qualidade. Bruno pode jogar aberto, Vitinho também - explicou Dome.

A título de comparação, ao longo de todo o segundo semestre de 2019, quando o Fla arrancou para dois títulos de peso, com Jorge Jesus, Everton Ribeiro foi substituído oito vezes em 34 jogos. São contextos e ideias distintas, mas a atual recorrência quanto ao capitão não deixa de chamar a atenção.  

PRÓXIMO JOGO

Para retornar aos trilhos e ir atrás da segunda vitória no Brasileirão, o Flamengo, agora, terá um clássico pela frente: diante do Botafogo, domingo, às 11h, no Maracanã. O duelo será válido pela quinta rodada da competição.

AS SUBSTITUIÇÕES NA ERA DOME

Contra o Atlético-MG: Arrascaeta (entrou Pedro), Everton Ribeiro (entrou Michael) e Gerson (entrou Vitinho)

Contra o Atlético-GO: Gustavo Henrique (entrou Rafinha), Vitinho (entrou Pedro), Everton Ribeiro (entrou Arrascaeta) e Gabigol (entrou César)

Contra o Coritiba: Bruno Henrique (entrou Pedro) e Gabigol (entrou Diego)

Contra o Grêmio: João Lucas (entrou Renê), Everton Ribeiro (entrou Vitinho) e Gerson (entrou Pedro)

MAIS SUBSTITUÍDOS

Everton Ribeiro: 3 vezes
​Gabigol: 2 vezes
Gerson: 2 vezes
Bruno Henrique: 1 vez
Arrascaeta: 1 vez
​Vitinho: 1 vez
Gustavo Henrique: 1 vez
João Lucas: 1 vez