Cuellar - CT Flamengo

Cuéllar estreou no Flamengo em fevereiro de 2016: são 168 partidas pelo clube da Gávea (Foto: Alexandre Vidal/CRF)

Lazlo Dalfovo e Matheus Dantas
13/08/2019
15:05
Rio de Janeiro (RJ)

Gustavo Cuéllar pode estar vivendo seus últimos dias como jogador do Flamengo. O estafe do jogador sinalizou que recebeu uma oferta que agradou ao atleta. A mesma, portanto chegará à mesa da diretoria do Flamengo, que, por ora, não confirma qualquer oferta pelo colombiano de 26 anos.

Dentro deste cenário, em que a vontade do atleta em atuar no futebol do exterior não é novidade, o clube estaria disposto a negociá-lo por um valor considerado interessante.

A informação foi inicialmente dada pelo jornalista Benjamin Back, do canal Fox Sports. Por parte dos representantes do atleta, a expectativa é pela transferência do camisa 8 para um clube da Europa.

As especulações sobre a saída de Cuéllar do Flamengo já acontecem desde a última temporada. O clube recusou uma proposta do futebol da Arábia Saudita, em junho de 2018. A partir de 2019, o estafe do camisa 8, com anuência do próprio jogador, passou a procurar outros clubes interessados, mas a direção da Gávea não recebeu qualquer proposta oficial até o momento.

Com multa rescisória estipulada em 70 milhões de euros - cerca de R$ 312 milhões, o colombiano teve o contrato prorrogado em junho de 2018 e, tem vínculo com o clube da Gávea até maio de 2022.

Após a Copa América, neste ano no Brasil, Cuéllar e seus representantes reuniram-se com Marcos Braz e Bruno Spindel, VP e diretor de futebol do Flamengo. A conversa foi considerada "positiva" e "amistosa" pelas partes, e o clube acenou com a possibilidade de uma readequação salarial do jogador, que, em comparação a outros grandes nomes do elenco, tem um salário defasado. Isso, claro, caso confirmada a permanência do camisa 8 na Gávea.

O último encontro entre o estafe de Cuéllar e direção do Flamengo ocorreu na última semana. Com Marcos Braz e Bruno Spindel na Europa, atrás de reforços, um novo encontro só acontecerá após os retornos dos dirigentes.